Seguidores

Nuvem de Tags

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Mas esse ano vai ser (in)diferente


Vem chegando o período das festas de fim de ano. Todo mundo ficando eufórico, todo mundo pensando na roupa que vai comprar, todo mundo pensando no futuro. Dezembro é uma espécie de mês que não existe, porque passamos 31 dias lembrando dos onze meses que passaram e imaginando como serão os próximos doze.

Eu, particularmente, não tenho lá muito tesão por Dezembro, porque é o mês que mais acumula manifestações formais e politicamente corretas da falsidade humana.

- Feliz Natal!
- Feliz Ano Novo!

aaaaaaaaaaaaaaaahhh!!!

Não suporto aquela gente que não fala com você durante 364/65 dias por ano, e justamente no dia 31/12 vem com um sorriso de orelha a orelha falar com você como se fosse a pessoa que mais se preocupa contigo na face da terra. Isso sem contar a distorção absurda que o natal sofre: Jesus nasceu num ambiente cheio de cocô, animais fedorentos e pasto, ou seja, se fez pobre pra enriquecer a humanidade de valores que realmente elevam a pessoa a categoria de ser humano. Mas o natal, comemoração do nascimento do Deus que se fez homem como testemunho do amor maior - segundo a fé cristã -, não passa de uma corrida ao shopping.

Reconheço que há um clima de esperança e sensação de paz nessa época; reconheço também que uma pessoa como eu, que praticamente não saiu da era das cavernas e que prefere falar "falô mano" do que dizer "até logo, nos veremos em breve" não pode mesmo gostar de momentos de formalidade. Entretanto, eu não consigo deixar de ver as festas de fim de ano como a marcha de pessoas que para tal necessitam apenas da sirene de largada para irem a lugar nem um.

4 comentários:

Luna Sanchez disse...

Também detesto esse clima de amabilidade forçada. Natal me deprime por isso.

Beijo.

ℓυηα

Cibelle disse...

O que eu não gosto é o consumismo, e a loucura que fica a cidade, as pessoas, o transito...
Mas como tenho 3 filhotes em casa, gosto do lado lúdico do Natal, de escrever cartinha para o Papai Noel, de montar o presepio... De cantar Parabéns na noite de Natal para o menino jesus...
Com criança tudo fica mágico e voltamos a acreditar que "O bem vence o mal, espanta o temporal, azul, amarelo o mundo é muito belo..." rsrsrs... Beijos!

Jamylle Bezerra disse...

Concordo com a Cibelle. Não gosto do consumismo,mas acho importante pararmos para pensar no que fizemos e no que queremos fazer daki pra frente. Falsidade existe em todos os lugares e em todas as épocas do ano, essa é a verdade. O Natal me deixa melancólica, mas procuro fazer alguma coisa legal, que me faça bem e acalme meu coração.

Gerson disse...

pow velhpo é foda esse espitirito natalino ainda bem q aki em casa naum tem esse papo de enfeite de natal agora acabou....
e naum suporto uma pessoa nunca fala contigo e quando é natal vem com akele sorriso amarelo te desejar "feliz natal muita saude felicidades" ai o outro dia xega e nem olha natu cara.