Seguidores

Nuvem de Tags

domingo, 31 de janeiro de 2010

Sem mais valia e sem arroz...


Esse fim de semana eu fui fazer um das coisas que mais me dá prazer nessa vida: falar com o povo.

Fui ministrar uma capacitação a uma paróquia sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano, sobre a qual falarei melhor em outro momento. A atividade foi realizada na Vila dos Cabanos, um bairro industrial habitado por funcionários da Vale do Rio Doce no município de Barcarena - PA. Amo pegar a estrada, amo olhar o visual e tudo, mas o motora que conduzia o ônibus parecia que tinha como único objetivo oganhar na corrida das tartarugas. Meu Deus do céu, como eu sentia vontade de descer e ir andando. Acho que chegaria mais rápido.

Durante a viajem, tive mais tempo do que eu merecia para me borrar de nervosismo pelo desafio que estava para enfrentar.

Primeiro: Era a primeira vez que eu falaria sobre o tema, e o faria para uma paróquia com 23 comunidades e mais de R$ 1500,00 em investimento.

Segundo: Eu tenho um corpo fransino, o que faz com que eu aparente ser mais novo do que eu sou. Só que além disso eu sou novo também, e isso gera muita desconfiança nas pessoas. Imagina só eu fazer um investimento da porra e chegar um moleque para ser o assessor? Assustador, no mínimo.

Ao chegar no local, eu dou alguns dos passos mais difíceis da minha vida. Consigo me lembrar de cada um deles até que alguém viesse falar comigo. E aconteceu de novo: percebi que o olhar dela era de reprovação automáica pela minha aparência, assim como o de todos. O desafio era maior do que eu esperava, inclusive, porque quando vi o público chegar percebi que a maioria eram pessoas idosas, muito diferente do que estou acostumado a falar. A atividade atrasou, o que me deixou muito aliviado porque seria menos tempo de batalha, e assim, caso fose um fiasco, eu seria enterrado mais cedo.

De que forma falar de economia e todos os termos complicados envolvendo o assunto para pessoas que provavelmente nunca ouviram falar de Adan Smith, Engels, Keynes e companhia? De que forma falar mal das grandes empresas a pessoas que são exploradas pela Vale e não sabem? De que forma falar de ecumenismo pra pessoas condicionadas a achar que só através de sua forma de viver a fé há salvação?Simples: simples. Mais carne, menos gordura.

Quem fala em público precisa ter uma sensibilidade incrível para saber quando está sendo chato, quando tem que enfiar uma piadinha pro povo acordar, quando tentar falar alguma coisa que chame a atenção daquela pessoa lá no fundo meio desinteressada sem precisar ser inconveniente. E eu venho tentando desenvolver isso. Técnica que nos permite também saber a hora que temos de calar a boca e quando o que estamos dizendo está causando algum efeito no coração de alguém, pois a única parte do corpo que não aprende a mentir são os olhos. E quando bem na minha frente eu vi os olhos de um senhor lagrimarem quando falei sobre a importância da gratuidade, meus olhos devem ter devolvido para aquele senhor uma mensagem de alívio e satisfação.

Consegui! Não fiz aquela gente que veio de tão longe perder a viagem. Não fiz os organizadores passarem vergonha diante do povo.

"Meu filho, parabéns! Você falou bonito e de um jeito muito simples. Obrigada", disse uma das cursistas, a exemplo de muitas outras pessoas . Também dei meus msn e número de telefone pra algumas meninas (porque ninguém é de ferro). Foi a primeira vez que fui aplaudido de pé. Mas o que me deixou feliz mesmo, foi ver o entusiasmo das pessoas em sair por aí e levar a frente a campanha, inclusive ecumenicamente. Ou seja, saber que tudo o que recebi foi resultado de algo que dei. Não há nada mais gratificante que um salário justo, sem mais valia e sem "arroz"*; alías, as coisas boas da vida são assim mesmo, dadas de graça, como aqueles olhares que levarei comigo o resto da vida.
________________
* Termo utilizado para denominar atos indecorosos do empregado para com o patrão, como roubar mercadoria.
Foto: Google.

5 comentários:

Luna Sanchez disse...

Clap-clap-clap!

Parabéns, moço! Foi filmado? Me mostra o vídeo?

Se mostrar, te passo meu MSN...rs

Beijos, fiquei feliz por ti. ^^

ℓυηα

Nara disse...

Ai que graça!
Parabéns *-*
É tão bom quando o trabalho dá resultado, né?

Que orgulho!

***MissUniversoPróprio*** disse...

Parabéns, querido!!!

Tb não gosto de falar em público, mas já senti a emoção de conseguir e ter bons resultados: é quase surreal.

Beijocas!

Ps. música adequadíssima a que vc me deixou lá... ;) Obrigada!

Jamylle Bezerra disse...

Nossa, muito bacana mesmo! Bom demais a sensação de dever cumprido né?! Que bom que deu tudo certo. Resultado da sua força de vontade e persistência. Tudo o que é novo dá medo, mas devemos ter a coragem de encarar para que aquilo deixe de ser novo e passe a fazer parte do dia a dia.

Boa semana pra vc!!!

Ananda disse...

foi muito legal isso,tbm adoro olhar pela janela é super-legal ficar olhando a paisagem,até andar de ônibus msm,as vezes da preguiça de descer..xD mas tipo,as vezes dá raiva msm quando demora muito..
é bom quando o nosso trabalho vale a pena msm,olha fiquei feliz só peço um favor o q é ecumenismo eu procurei no google,só q tava escrito q era a união das igrejas,um monte de coisa,e achoq nao se encaixa nesse contexto,dá próxima vez que escrever coloca uma palavra mais fácil,pq a pessoa aki não tem um vocabulário tão abrangente.xD
eras,seu sedutor,conquistador,pedindo msn,rs,adoro esse seu jeito,ei,olha só de volta a net,tô tão emocionada passei quase direto,só fiquei em sociologia pq não tinha 2 avaliações,depois explico melhor..
kra de pirralho vc tem msm^^mas tem uma grande cabeça,é meio q isso compensa.xD