Seguidores

Nuvem de Tags

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O Canalha - Caça 7

Ele. Ela. O Canalha estava indo pagar uma conta. Ela estava indo comprar roupas. Se encontraram no sinal. Os dois se viram. Os dois fingiram que não se viram. Namoraram há bastante tempo, na adolescência, durante um certo veraneio. Ela ficou achando que ele nem a notara. Ele a achou mais linda do que antes. Ele ficou achando que ela acharia horrível a barriguinha avantajada dele. Ela não lembrava como o bumbum dele era bonito. Atravessaram juntos. Ele olhando para um lado. Ela olhando para outro.Tentaram se evitar e conseguiram.

Ele entrou no banco incomodado consigo mesmo. "Como é que eu não falei com ela?", se culpava. Ele lembrou como era tímido na adolescência, como aquilo, de encontrar uma namorada da adolescência, de repente o afetava. Súbito, uma enorme crise existencial acometeu o Canalha. "Não. Espera. Tenho que ser racional.", começou a refletir consigo mesmo o nosso anti-herói. Ele lembrou que um amigo dele poderia ter o número dela, pois estudou com ela anos depois, e descobriu que já tinham namorado. Deu certo. Número na mão. Agora o que fazer? "Já sei", decidiu.


- Alô.
- Alô. Quem é?
- Se você me viu e também fingiu que não viu no sinal, vem ao banquinho em frente ao carrinho de pipoca, no segundo piso do Shopping agora.
- Como assim? Onde é isso? Perguntou ela, mas percebeu que após o convite, ele encerrara a ligação e também o próprio aparelho.


Ela ficou num enorme dilema. Mas a curiosidade era insuperável. Ela foi. Ao chegar, viu o banquinho, mas não havia ninguém. Ele fez a clássica brincadeira de vendar os olhos delas com a mão. "Eu sei que é você. Não acha que isso é óbvio demais?", perguntou. "Eu não estou querendo que você adivinhe quem é, só estou te ajudando. Você ia fechar os olhos mesmo que eu sei", provoca ele, enquanto se põe diante dela e encosta o rosto próximo. Tira as mãos e fala com os lábios quase encostados que está com saudade. A abraça. Mais forte. Beija o rosto. O canto da boca. Ela não resiste. Ela abre a boca. Espera o beijo. Ele se afasta. Ela fica sem entender.

"Vem aqui", disse ele, puxando-a pela mão. Entraram numa das áreas de acesso de funcionários que a maioria das pessoas nem notam que existe. "Você tá me levando pra onde?", perguntou ela, ao mesmo tempo surpresa e sem palavras. "Pra onde você vai descobrir que quer ir tanto quanto eu", respondeu ele. Ele a encosta contra a parede. Olha nos olhos dela, e sem dizer nada a beija e a aperta contra ele. Ela se sentiu dominada, a mercê das ordens dele, e ensopada de vontade de obedecer. As mãos dele passeavam, ela até ensaiava dizer não, mas a boca dele, o jeito dele de conduzir era irresistível demais. Ele pôs o pênis pra fora e olhou nos olhos dela. "Vem". Ela foi. Pôs na boca. Movimentou as mãos. Ele segurou o cabelo dela. Ela gemia enquanto chupava. Gozou só de fazer sexo oral nele, ele disse que estava difícil de segurar. Ele a levantou, quis abaixar pra beijá-la também. "Não. Vem logo, antes que chegue alguém". Saia levantada, perna esquerda dela na mão direita dele, calcinha arredada... Ele foi.

Os dois gozaram juntos. Ela não gemeu mais alto dessa vez, mas ele percebeu porque ela também perdeu um pouco da força nas pernas. "Queria te dizer uma coisa", disse ele enquanto se recompunham. Ela fez sinal que ele poderia dizer. "Eu já te disse hoje que estava com saudades?", perguntou ele com um olhar cínico. Ela riu. Eles continuaram o "reencontro" depois...

17 comentários:

Marcio Nicolau disse...

será que se viram mesmo? Parece um encontro às escuras.

Ele olhava para um lado e ela pro outro... A abordagem se deu de olhos vendados.

Acho que os dois, feito a maioria, não perceberam que existem "áreas de acesso" que não encerram (ao contrário!) estabelecem a ligação.

Luna Sanchez disse...

Canalhices são honestas, por isso gosto tanto delas!

=D

Delícia de post, Eraldo, seu lindo!

Um beijo.

Mirella de Oliveira disse...

Eu deveria dizer que não gosto de canalhices, e que blablabla... Mas, enfim... Eu não seria sincera!

PQP que delícia de texto!! Invejei a moça! :x

Beeeeeijo, queridíssimo! Adoro-te!

Paulo Braccini - Bratz disse...

amo estas canalhices ... a vida sem elas perde muito de seu tesão ...

amei

bjão

'Lara Mello disse...

Adorei, sentir toda a intensidade desse texto, e confesso que já passei por uma situação parecida, e matei a saudade, e amei!! Rs

=**

Rossana disse...

Eraldo querido já te disse que sou 'apaixonada' pelo Canalha!!
Amo estas histórinhas, já tive um canalha assim... e morro de saudades dele!
Bjkas pra ti! ;)

Maggie May disse...

eu fiquei aqui pensando…quando olho para um ex meu, vejo aquele garoto de 16 anos que namorei…(até imaginei que poderiamos ter sido nós dois!!!) hahahaha

Valéria Sorohan disse...

Que bom que teve o reencontro. Coisa boa isso.

BeijooO*

Michele P. disse...

Você seguiu meu conselho! Adorei! hahah
Quando vi o título, pensei: " vamos lá ver que cabo o Eraldo deu a história", imaginando que encontraria aquele desfecho que já conhecia.
Você mandou muitíssimo bem!
Aplausos meus.

PS: Minha resenha não foi das piores, mas tua orientação estava correta. Obrigado.


Bjs

Átila Goyaz disse...

Isso é uma fugidinha!
Abraços!

Mirian Oliveira disse...

o canalha e suas canalhiçes...
adoro ele...

belo post...

;)

tonholiveira disse...




Si a Nalha quizé i
EU vou K Nalha...


Grande PAU...lino!

:o)

Batom e poesias disse...

Texto muito bem escrito e seu canalha continua quente...

Mas o comentário do Tonh0 aí em cima roubou a cena... kkk

Bjcas
Rossana

Daíse disse...

Adoro teu jeito de escrever, Eraldo !!!!

Uma delícia!!!

Bjo!

Fátima disse...

Oi Eraldo,

Eu começo a te ler, como se fosse um livro em minhas mãos, e sei que vou viajar nele.
Fui lá, junto com o canalha..rs
Pulou todas as etapas e foi "ao que interessa", gosto disso.

Beijo meu

Eraldo Paulino disse...

Marcio Nicolau: Eu também acho o Canalha mais profundo do que parece. :p Abraço!

Luna Sanches: Eu também acho que estou começando a gostar de canalhices. Bjs!

Mirella de Oliveira: Então... tem shoppings aí, né? rrsrs

Paulo Braccini - Bratz: Que bom que existem muitas e muitos desses no mundo, né? Bjs, querido!

'Lara Mello: Conta Conta Conta Conta Conta Conta !!!!!

Rossana: Tenho certeza que O Canalha te adoraria também :p

Maggie May: Quem sabe um dia, né? Eu apoio essa idéia!

Valéria Sorohan: Também acho. Bjs!

Michele P: Teus conselhos são sempre relevantes, querida. Obrigado pela dica. Fico feliz que tenha gostado.

Átyla Goyaz: Isso é! rsrs

Mirian Oliveira: Obrigado, querida.

tonholiveira: kkkkkkkkk boa! Muito boa! Òtima!

Batom e Poesias: rsrs Também amei! Bjs no Batom!

Daíse: Obrigado, linda!

Fátima: O Canalha não sabe enrolar rs. Bjs, Fátima!

Marcio Nicolau disse...

Há sempre mais, Eraldo!