Seguidores

Nuvem de Tags

terça-feira, 31 de maio de 2011

Josés e Marias da Amazônia - Terra sem lei

Este post é dedicado a José Cláudio, Maria do Espírito Santo, Herenilton Pereira dos Santos e Adelino Santos (Dinho), mártires da Amazônia, tombados diante do neoliberalismo.


A Amazônia é uma imensidão de verde manchada de sangue. Lugar que fede a fumaça do desmatamento, lugar que se desenvolve sobre o trabalho escravo e que vê tombar quem não se cala. Uma porção de terra que dá luxo pra bois e destino pior que o de suínos a muitos seres humanos. Isto pode até ser uma visão apocalíptica ou no mínimo pessimista, mas ainda assim mais verossímil do que a imagem transmitida pelo PiG* sobre a Amazônia. Parece que Amazônia é só bicho a ser preservado, mato a ser preservado, micro-organismos a serem preservadas, boi a ser preservado, soja a ser preservada, Belo Monte a ser condenado, etc.

Manaus -AM
Acontece que a Amazônia é formada também e principalmente por pessoas. Além de toda a beleza exótica (para os outros, não para nós) da floresta, existe por aqui um panteão de vida, de diversidade, de riqueza cultural que pouco se vê em outros lugares do mundo. Aqui falamos vários idiomas, dialetos. Aqui nós tomamos banho de rio e corremos no mato, mas também andamos de avião e passamos por engarrafamentos. Aqui nós somos um pouco índios, mas também somos um pouco japoneses, um pouco africanos, mineiros, nordestinos, europeus, goianos, etc.


Por isso, não foram ambientalista (apenas) que morreram nos últimos dias defendendo a Amazônia, foram pessoas, acima de tudo pessoas, seres humanos que tombaram diante de um modelo nefasto de desenvolvimento que premia escravagistas, grileiros e madereiros assassinos e esquece ou finge não esquecer quem de fato se importa com a Amazônia. Pessoas morreram defendendo o meio-ambiente sim, mas também o direito de pessoas buscarem o desenvolvimento desta terra de forma plenamente sustentável, não essa sustentabilidade que o sistema mente querer, agora que esta palavra está na moda, mas a sustentabilidade que não vê o lucro acima de tudo.

Chico Mendes, mártir da Amazônia.
Uma outra irmã como Dorothy foi martirizada defendendo a Amazônia, por exemplo, e ninguém sabe, pois não renderia tanta audiência ao PiG (Ir. Adelaide Molinari). O que quero dizer é: quem precisa de nós não é a floresta, ela não precisa de nós, nós é que precisamos dela. Quem precisa mesmo de nós são vários homens e mulheres de diversas etnias e localidades espalhadas pela Amazônia. Pessoas como eu, como nós amazônidas precisamos de atenção a nossas vidas, prioritariamente. Precisamos que o desenvolvimento da Amazônia sirva para vivermos, não para que vivamos para ele e muito menos que morramos por ele.


______________
*PiG: Partido da imprensa Golpista.

15 comentários:

Titi disse...

gostei =D

Paulo Braccini disse...

e continuamos com nossas vergonhas ... lamentável mesmo ...

bjão

Rossana disse...

O que realmente tem que ser noticiado é sempre escamoteado. Como disse o Paulo, lamentável...
Bj =)

byTONHO disse...



infe):zmente
infe):zmente
infe):zmente
infe):zmente
infe):zmente
infe):zmente
infe):zmente re-pe-te-se sempre!

"infe):z mente...
estes "espíritos mentecaptos" infe):zes, que a terra não come, ficam vagando, voando, como moscas, zumbindo a maldade no OUVIDO explorador!


"perDEU-Se o sentido de humanidade..."

:(

Altavolt disse...

Lamentavelmente, na Amazônia muitos abutres se sentem completamente livres para cometer as maiores atrocidades contra a natureza e contra aqueles que a defendem. Tudo isso em nome do dinheiro e do lucro fáceis. A impunidade, que grassa em todo o Brasil, é, na Amazônia, ainda mais presente e alarmante. Grande post, caro Eraldo! Abraço!

Valéria Sorohan disse...

Isso é muito triste a dá vergonha. Parece até que vivemos num país sem lei.

BeijooO*

O Impenetrável disse...

realmente a região amazônica é um orgulho pra nós. e toda a diversidade cultural que por lá rola, um ambiente riquíssimo. Eraldo, seus textos são ótimos, super interessantes e acima de tudo de um ótimo bom gosto.

Abração.

Alline disse...

Eu queria pensar que pode ser diferente, mas já não sei. Tem dias que a esperança de mais verde murcha...

Beijo, Eraldo!

Multiolhares disse...

me pergunto como é possível destruirmos a nossa casa, destruirmos os nossos irmãos destruirmos-nos a nós próprios
bjs

Batom e poesias disse...

Eraldo

Não vou comentar esse assunto tão vergonhoso, que renderia muita prosa desencantada e pouco profícua.

Quero apenas dizer que seu texto-denúncia é muitíssimo bem elaborado e comovente.

Um beijo na seu coração amazonense.

Rossana

Batom e poesias disse...

Eraldo

Não vou comentar esse assunto tão vergonhoso, que renderia muita prosa desencantada e pouco profícua.

Quero apenas dizer que seu texto-denúncia é muitíssimo bem elaborado e comovente.

Um beijo na seu coração amazonense.

Rossana

Luna Sanchez disse...

Eu já disse isso aqui e repito : ando tão sem fé.

=\

Beijos, querido. Saudades.

[Ananda] disse...

li isso no jornal e fiquei extremamente triste,lembrei do dia em que fui numa passeata em Belém contra a construção da usina a quase 2 anos atrás e bom parece que passar por cima de pessoas ,seres vivos não importa pra alguns,sabe isso me deixa num estado as vezes pensativa.

"Muito prazer, meu nome é otário
Vindo de outros tempos mas sempre no horário
peixe fora d'água, borboletas no aquário
Muito prazer, meu nome é otário
na ponta dos cascos e fora do páreo
puro sangue, puxando carroça
Tudo bem, seja o que for
seja por amor às causas perdidas
Por amor às causas perdidas"

é eu acho que vou ser sempre uma otária lutando pelas causas que as vezes são tecnicamente perdidas,espero um dia transcerder essas causas,espero um dia não me tornar igual aqueles que fazem essas causas serem perdidas para alguns e que me deixam triste.

Um beijo pra vc moço..saudades imensas dos seus textos.

Eraldo Paulino disse...

Titi, Paulo, Rossana, Alta, Valéria, Impenetrável, Alline, Multiolhares, Batom, Luna e Ananda, muito obrigado pelos comentários. Vocês são ótimos!

Bjs e abraços!

Diogo Didier disse...

Esse seu texto me fez lembrar de uma reportagem que eu li nessa semana sobre a influência de outros países (EUA) nas terras amazônicas.

Além da problemática do desmatamento, a floresta ainda conta com o descaso do governo, no que tange a proteção integral dessas terras...

Em muitas partes da floresta já há donos de outros países e pasme, minha amiga q voltou recentemente dos EUA disse que em algumas escolas a Amazônia já faz parte desse país!

Até quando esse desrespeito com a nossa propriedade vai durar?!

bjoxxxxxxxxxxxxx querido!