Seguidores

Nuvem de Tags

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A Igreja como ela é - O bom obreiro.

Baseado na obra de Nelson Rodrigues, conto aqui histórias que deveriam ser mentirosas, mas não são.


O BOM OBREIRO.


Era uma igreja famosa pela presença de muitos jovens. Quem invejava a juventude dali mal podia imaginar que o maior desafio da moçada lá não eram as drogas, as bebidas ou a prevaricação, e sim a "diaba de uma velha" (palavras de um deles). E de tanto falarem de missão, velha, envio, velha, conversão, velha, perdão, velha, misericórdia e mais da velha, num culto desses da vida um jovem recém convertido encasquetou que ouviu Jesus dizer que o propósito de estar ali era renovar a velha (oi?). Apesar de esse tipo de "visão" ser considerada normal e ao mesmo tempo obra do senhor, não houve quem o encorajasse nessa missão. "Tem certeza que Jesus falou mesmo isso? Tem certeza que não mandou dizer pra ela orar só em casa pra sempre?", murmuravam alguns (jovens de pouca fé).

Mas o novato, com toda a empolgação do mundo parecia irredutível. "O que um novato vai ensinar pra uma irmã que praticamente fundou essa congregação?", cochichavam alguns no começo. Mas os resultados, surpreendentemente, apareceram muito depressa. Em menos de um mês, a senhora (sim, eles passaram a chamá-la de senhora) parou de despejar grosseria gratuita, passou a não ser a primeira a apontar o dedo na cara das pessoas, aliás, passou a não mais fazer intriga com ninguém. Tudo ficou tão melhor, que o novato "redentor" passou a despertar a atenção das irmãs "moças" mas ele não dava bola pra nenhuma. Parecia mesmo querer apenas servir o Senhor.

Súbito, a ex-megera parou não só de falar grosserias, como passou a não falar mais quase nada. Parecia uma morta viva de tão silenciosa Parecia estar sofrendo. Só que ela, ainda que diferente, não foi o assunto mais discutido dessa vez. Sentiram falta mesmo foi do novato, que parecia tão convertido e de repente parou de frequentar os cultos. Duas semanas sem aparecer e sem atender o celular, e a galera tratou de ir até a casa dele pra tentar resgatar a alma aparentemente vacilante. Foram recebidos pela mãe e pelo irmão que acenou rapidamente e continuou jogando videogame. A mãe, muito discretamente, passou o recado que não era da conta deles onde o filho estava, mas que ele não estava mais naquela cidade. Eles, também discretamente, insistiram. A mãe, o mais discreta que conseguia ser, apesar do constrangimento aparente, tentou dizer que ele estava bem, embora longe dali, os amigos já iam insistir de novo até que o irmão do novato, que estava nitidamente irritado por estarem naquela lengalenga, explodiu:

- Conta logo pra eles que a senhora pegou ele comendo uma velha na cama dele, mãe!

A mãe corou, e quase se enterrou sob o tapete. E ainda jogando, de costas para os presentes, continuou.

- Conta pra eles que ele foi mandado pra igreja porque tinha um caso com a professora, outra velha, e que a senhora mandou ele pra casa do papai em Curitiba porque não sabe mais o que fazer com ele.


A mãe fuzilou o filho com os olhos, enquanto as bochechas pareciam mais uma pimenta malagueta.


- Pronto, agora eu vou ficar de castigo uma semana porque meu irmão maior gosta de comer velhas.


...

Não se sabe quem ficou mais constrangido, se foi a mãe ou os amigos. A vontade que todos tinham era de se teletransportar pra uma outra dimensão, mas tudo acabou com o mais insosso dos tchaus. "Ele seria um bom obreiro", comentou um jovem depois de sairem da casa.
_______________
Imagem: Google.

13 comentários:

Rossana disse...

rsrsrs!
Adorei a a historinha...=)
E como tem `obreiro` nesse mundão.

Mirian disse...

gostei do desenrolhar da história!

ficou muito melhor!

bjs

Long Haired Lady disse...

hahahaha
sem duvida um bom obreiro!

Déia disse...

Esse é um bom obreiro!!
rs

bj

Antônio Henrique disse...

Olá ERALDO, Obrigado por me seguir.
vai ser um prazer está acompanhando o seu blog.

Muito bom por sinal,
Bons textos e um designer elegante.

vale realmente conferir.

Novamente, fico feliz por me seguir.

Já coloquei em meu blog, um direcionamento do seu
link (na lista de blogs parceiros) para que através
de suas atualizações eu esteja te acompanhado.

luz na sua vida, paz, harmonias e conquistas.
E que a troca de experiências, através das leituras,
seja ótima para ambos.

Basta conferir em:

http://Umguiadecomoviverbem.blogspot.com

Obrigado.
"Antônio Henrique"

Alline disse...

Ele devia é ter ganhado um prêmio por calar a velha! rsrs

Bom fim de semana, Eraldo!!!!
Beijobeijobeijo

Valéria Sorohan disse...

Gosto não se discute. Não é???

BeijooO*

tonhOliveira disse...



"Em boca ocupada não entra mosca".

É por isso que tá faltando
mão-de-obra na construção civil,
os bem "qualificados e outros predicados" estão ocupados na casa de DEUS!


MÃOS à OBRA!

:)

Paulo Braccini disse...

Felizmente ele encontrou a sua verdadeira obra ... foi bom para si, para a velha e para o mundo ... executou sua obra, saciou a velha, e poupou o mundo do falatório da velha ...

Querido, conto de primeiríssima qualidade ... parabéns ...

bjux

;-)

***MissUniversoPróprio*** disse...

O quê uma boa "obra" não é capaz de fazer, né? ;)

Obrigada pela visita e pelo carinho, querido! Linda semana pra ti! =****

Kelly Criis disse...

é realmente precisamos seriamente de um obreiro aqui!

Letras Saltitando disse...

eu goostaria de ter um obreiro por todos os lados, kkkkkkkkkkkk

Daniel Savio disse...

Hua, kkk, ha, ha, realmente não é a movimento da fé que eu esperava...

Se cuida menino.

Fique com Deus, menino Eraldo.
Um abraço.