Seguidores

Nuvem de Tags

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Espiritualidade


"O tambor faz muito barulho
mas é vazio por dentro"
(Barão de Itararé)

A espiritualidade não é um momento, uma vivência pontual. Tão pouco,  um balão  que sobe ao céu cheio apenas de vento. É uma condição existencial que habita a vida de todas as pessoas como uma mola propulsora a nos impulsionar, mesmo quando não temos mais forças, sempre em direção a algo que no íntimo de nosso ser sabemos que vale a pena. E é pena que nos tempos pós-modernos atuais, em que o sagrado retorna morbidamente maquiado de desejos de riquezas e medo de viver as dores da vida, as pessoas não consigam vivenciar a espiritualidade como a dimensão da nossa resistência no caminho das pedras que são as utopias.

Lembro que, certa vez, um amigo militante dizia que espiritualidade é como as raízes de uma planta. Quanto mais fincada e enraizada a planta está num dado terreno, mais ela tem condições de resistir às tempestades da existência. E diria que uma das maiores tempestades de nossas espiritualidades é justamente a idiotização da fé, fecundada por pseudo-espiritualidades que comercializam a esperança e vendem a imagem de um Deus que não resiste a meio quilo de inteligência ou muito menos a um quarto de quilo de bom senso.

Isolar-se numa redoma de mentiras dentro de uma igreja e fazer pessoas tomarem doses diárias de catarses espiritualistas é algo que agride a vida das pessoas. É uma das formas mais lamentáveis de violência. A espiritualidade de verdade não nos estagna, muito menos nos move para trás. Ao contrário, a espiritualidade é a parte de nós que não consegue ficar presa à opressão que a realidade impõe e nos impulsiona a imaginar um lugar melhor e construí-lo aqui onde estamos. Espiritualidade é essencialmente um espírito de transgressão, de inconformidade com o estabelecido. A espiritualidade não apenas existe para propagar o temor a lobos, mas também para questionar as cercas que aprisionam o rebanho e o cajado opressor dos pastores.



Espiritualidade é crer que as sementes germinam se plantadas no solo bom dos corações e mentes das pessoas. Espiritualidade é militância radical da fé no que é, e principalmente no que deve ser bom. Espiritualidade é rezar a cartilha da poesia, adorar a figura divina da tolerância e se ajoelhar diante do bem maior. Espiritualidade é crer na redundância, até mesmo no pleonasmo do amor solidário. A espiritualidade habita naquela que "não sabendo que era impossível, foi lá e fez"*, mas, principalmente, move aquela que mesmo sabendo que era impossível, foi lá e fez mesmo assim.
_______________
*Mark Twain

14 comentários:

Paulo Braccini - Bratz disse...

Creio q este é o texto mais lúcido, mais transparente e mais didático q eu já li sobre a verdadeira espiritualidade ... perfeito ...

compartilhando ...

beijão

Michele P. disse...

Eraldo

A lucidez e bom senso que você tem ao discorrer sobre este assunto é impressionante!

byTONHO disse...



Cada dia escrevendo melhor...

"Sou 'oco', tal qual o tambor.
Não tenho espírito.
Ex.pirou em mim!
Fé...deu!

Do...ente sou!"

:o(

Átila Goyaz disse...

Foi muito sensível e esclarecedor, parabéns pela escrita!

Alê disse...

Mas por vezes, o silêncio que fizemos, são justamente, para encontrarmos dentro da gente, as sementes,



Bjkas

Luna Sanchez disse...

Também acho que o maior desafio pra fé é a sua própria existência.

Beijo, lindão.

Fátima disse...

Oi Eraldo, bom que voltou!!

Teu texto esta perfeito, óbvio, lúcido.
Acreditar num poder superior independente de templos, é o que faço sentir fé é algo muito bom, sem muita conversa, questionamento e blá, blá, apenas sentir, meu espirito agradece.
Obrigada pela partilha.

Beijo meu

'Lara Mello disse...

Muito bom o texto..
Acredito que espiritualidade não está totalmente ligado com religião, que na verdade é uma droga que faz lavagem cerebral nas pessoas, espiritualidade é crê! =)

Diogo Didier disse...

Brilhante!
É nesse ponto de vista que sigo a minha vida espiritual. Longe de Igrejas e de rédeas infundadas, eu fundo as minhas crenças nas forças que emenam de várias partes da terra, de tudo o que há vida, no que sempre se renova.

Bjoxxxxxxxxxxxx querido!

Rockson Pessoa disse...

Hoje poucos vivem a espiritualidade, algo que é vivo... De fato muitos abração uma religiosidade adoecida que os desliga da realidade.

Bom rever-te amigo Eraldo!!

Valéria Sorohan disse...

Não faço da fé muleta para justificar tudo na minha vida. Prefiro me buscar, me perder, tentar ser humana com respeito e solidariedade por mim e pelos outros. Ainda não acredito que ter fé seja o caminho para salvação, até mesmo porque salvar-se de que? Sei lá! Minha alma precisa ser preenchida com atos, experiências, sentimentos; precisa de vida e não de dogmas e cultos.

BeijooO*

Batom e poesias disse...

Pensando e pensando no conteúdo...
Mas a forma está fantástica. Muitíssimo bem escrito!

bj

Diva L. disse...

Olá, Eraldo! Te encontrei no blog do Rockson e vir conferir teu espaço.
Gostei do teus "Eus" e acabei ficando.

Bjo grande e abraço na alma.
Diva L.

Mirian Oliveira disse...

olá meu amigo concordo plenamente com as premissas que levantaste no teu texto. Lembro do grande irmão Pedro Casaldaliga que aludiu isso em um livro recente sobre espiritualidade e as falsas imagens que existem em torno dela. A mesma problematica existe em torno do termo santidade que foi um termo inflacionado e deturpado com a noção d pureza do farisaismo. Acredito que a noção semita de espiritualidade (lembrar o movimento do êxodo do egito) seja a raiz para iluminar um eventual aprofundamento desse tema aqui levantado. No mais parabéns por esse gostoso texto.

Com Apreço,

Iuri Lima