Seguidores

Nuvem de Tags

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Homofobia e suas caretisses

Conversando sobre as imbecilidades do mundo, Rossana do homônimo blog Batom e Poesias e eu resolvemos parlar um tico a respeito da homofobia. Hoje é minha vez e amanhã é a vez dela. Sem muito blá blá blá, vamos logo lá porque é feio rimar!


Homofobia e suas Caretisses


            Você quer conseguir um emprego e a moça do RH fala: "Me desculpe. A vaga poderia ser vossa, mas descobrimos que ontem você fez sexo anal".

         Já imaginou se alguém definisse você pelo que você faz na cama ou pela forma como anda? Já pensou se você não conseguisse um emprego porque prefere rosa a azul? Já pensou se você chega ao seu pai e fala que só quer ser feliz do jeito que você é e leva uma surra em troca? Já pensou você ser excluído do mundo só, e tão somente só porque não é igual a todo mundo? Já pensou se contra a sua vontade (e felicidade) você tivesse que representar alguém que não é pra literalmente sobreviver?

    Se você já imaginou tudo isso então imaginou como é basicamente o cotidiano dos/as homossexuais. O problema é achar que “homossexual” é sinônimo de pênis, ânus e/ou vagina, e que as diferenças neles/as é suficiente para um passaporte vitalício e obrigatório à via-crúcis.

         Seria ótimo seguir a maré do Twitter e jogar todas as pedras merecidas à homofobia no "DÉSPOTAdo" Bolsonaro. Mas, infelizmente a ampla maioria das pessoas que o criticam são tão ou mais homofóbicos/as que ele, ainda que veladamente. O preconceito é assim mesmo, faz a gente agir pensando que estamos sendo altruístas, mas somente a pessoa violentada é quem sabe. E não tem jeito. Preconceito se supera sentindo com discernimento e raciocinando com sensibilidade, e não vive no paraíso das declarações e sim no mundo real das ações.

         Quer saber se você é homofóbico/a ou não? Imagine um filho, uma filha, um irmão, uma irmã homossexual e como seria sua reação. Se houver qualquer tipo de desconforto, não se engane: você é homofóbico/a. Se for só desconforto, você tem tudo pra ser uma mãe ou um pai exemplar – basta desenrugar os neurônios. Entretanto se o sentimento for de repulsa, lamento pelo/a parente e pelas centenas de vítimas do fruto dessa ignorância que perecem no país que mais mata por homofobia no mundo (Brasil).
        
         O preconceito não vai deixar de existir, seja contra quem for. É o espinho da rosa humana. Por isso é papel do estado criminalizar tudo que tira o direito e a garantia da coexistência pacífica entre os/as diversos/as. Um jardim vive muito bem sem espinhos, mas sem perfume só há sobrevivência.
______________
Se você vier com o papo de que homossexualidade é pecado, leia isto aqui.

21 comentários:

Rossana disse...

Adorei o texto Eraldo!!!!
Na minha familia como em quase todas temos homossexuais (homens e mulheres).Infelizmente sou a única que tem a mente aberta. Creio que cada um tem que ser o que realmente é, e NINGUÉM tem nada a ver com isso.
Posso colocar esta tua frase no meu blog? - " Um jardim vive muito bem sem espinhos, mas sem perfume só há sobrevivência."
Bj =)

mirian disse...

Realmente nossa sociedade é cheia de preconceito e falsos valores.
Tiro por mim, tinha uma visão mais fechada e as vezes ate preconceituosa, mas como as coisas mudam... minha visão tmb mudou... graças a Deus... percebi q se é pra ser feliz e se estar bem, ñ importanta com quem se estar...
tenho um amigo q é homossexual, e isso ñ me fez gostar menos dele e q eu perdesse a admiração q sempre tive por ele... pra mim ele continua sendo o mesmo cara maravilhoso e companheiro q sempre foi.
Espero q a sociedade ainda mude seus valores e suas falsas concepções.
Gostei do texto.
Te cuida
bjs

Paulo Braccini disse...

Eraldo! Parabéns ... Perfeito ... o preconceito é latente em todos nós, seja ele qual for. De alguma forma, em algum momento vamos colocá-lo à mostra - pela cor da pele, pela orientação sexual, pelo nível cultural, pelo nível social, por ser gordo ou ser magro ... enfim ... o q precisamos efetivamente é de educação e de informação, a começar lá no berço.

Luna Sanchez disse...

Concordo com o teu texto mas acrescento que o estereótipo precisa deixar de ser alimentado pelos próprios homessexuais...muitos agem assim, talvez sem perceber.

Um beijo.

SolBarreto disse...

Amei o texto!
E acredito que a forma de se avaliar e assim mesmo imaginando...No meu caso eu vivo isso e te falo quando você vê a pessoa como ela é, não é sua opçao sexual que afeta qualquer sentimento(carinho, amor, respeito) que você sinta por ela.É assim que que penso e vejo as coisas, amo minha sobrinha exatamente como ela é, e não mudou minha maneira de ve la como uma pessoa que admiro, respeito e amo acima de tudo!

Batom e poesias disse...

Tudo o que escreveu é extremamente relevante, Eraldo, e saiba adorei participar desse exercício com você.

Você me ensina muito.
Minha parte já está lá no "batom".

Beijos mil.
Rossana

♪♪Junio♪♪ disse...

Muito bom mesmo o texto tu escreves muito bem!!! lembro uma vez minha mãe falando pra minha irmã homofóbia"É minha filha vc vai casar e vai ter filho, se ele for gay vc terá que amá-lo da msm forma", e uma vez conversando com um amigo hétero "eu te amo independente da sua sexualidade"...e como vc msm disse só quem sofre o preconceito sabe o q é essa dor!!!


Hasta luego!!!

byTONHO disse...




É pau lino
é pedra lino
é o fim do caminho lino...♪

...

PAU no bolso.naro!

hoMOFObia ← contém!

Abraço-tchê!

Alline disse...

Já devo ter dito em alguma ocasião, mas respeito é bom e todo mundo gosta - os homossexuais, os obesos, os muito magros, os negros, os albinos, os muitos inteligentes, os menos favorecidos intelectualmente, os lindos e os feios. Todos os diferentes, os que não estão dentro dos padrões e também têm direito à felicidade e ao sossego. É isso.

Beeeeeeeeeeeijo, Eraldo!

Diogo Didier disse...

Estou chegando por aqui hoje e já me deparo com um texto dessa magnitude.

PARABÉNS pela abordagem! Sou gay assumidissimo e vivi os tormentos de uma família que, a priori, estava despreparada para a minha sexualidade. Lembro-me bem que o meu irmão caçula e sobretudo minha mãe foram os únicos que me deram apoio nesse momento complexo da vida.

A sociedade, infelizmente não está preparada para receber o homossexual dentro de casa. Perdura o pensamento pequeno do qual iguala os gays a algo promiscuo, doentio e anormal.

Acredito, no entanto, que muita coisa tem ocorrido para que esses esteriótipos sejam desconstruídos, e num futuro não tão distante veremos uma nova realidade homoeducacional.

PARABÉNS mais uma vez pelo texto e pelo blog...estou por aqui agora
:)bjoxxxxxxxxxxxx no coração!

*Pri disse...

É uma das coisas mais perfeitas que já li. A personificação da alteridade. Um bom tom para quem acha que é melhor que tudo ou que todos. O preconceito existe em cada um de nós, a diferença está na maneira com que lidamos com ele. E abaixo a homofobia. Desde quando te bateram por pedir um sorvete de chocolate? Acho que é mais ou menos por aí... Abs.

Suzana Martins disse...

Que texto maravilhoso, meu querido amigo!! Pefeito mesmo.

Já li o texto no Baton e POesias hoje cedo, domingo é dia de colocar a leitura em ordem, rs... Amei o texto e me emocionei com cada palavra escrita por lá!!!

E com as suas então?! Palavras perfeitas que deveriam ser lidas por todos, pois infelizmente convivemos em uma sociedade hipócrita e preconceituosa.

Até quando as pessoas vão viver sem aceitar as diferenças?? Isso no entristece, mas quando vejo textos como os seus e de tantos outros eu vejo que ainda temos esperanças!!!

Lindo e lindo, querido!!!

Parabéns pela iniciativa!!!

Beijos

Negação de Irene disse...

/Só sabe onde lhe aperta o calo...

Jamylle Bezerra disse...

Concordo em gênero, número e grau. Homofobia é crime, tão quanto matar e roubar. Inadmissível que em pleno século XXI ainda existam vítimas de preconceito. Lamentável!

Jamylle Bezerra disse...

Concordo em gênero, número e grau. Homofobia é crime, tão quanto matar e roubar. Inadmissível que em pleno século XXI ainda existam vítimas de preconceito. Lamentável!

Adison César Ferreira disse...

Graande Eraldo!!!
Sabedoria e coerência em poucas palavras. Disseste o que penso
Beijo no coração :)

Raquel Amarante disse...

Admirável!
Admirável!
Seguindo!

L. Sampaio disse...

Muito boa essa sua crítica Eraldo!
Também muitas vezes as pessoas que mais descriminam, esquecem de olhar pra si e sentir repusa da própria pessoa, como os padres pedófilos que são encontrados por ai.
Acho que esse caso todo do Bolsonaro serviu pelo menos para as pessoas refletirem mais sobre esse assunto. E é muito triste pensar e saber que ainda existem, em pleco século XXI pessoas que pensam da forma como a dele.
Gostei muito a comparação que fizestes com a flor.
Eu tenho um único dilema de vida em relação a sexualidade minha e de qualquer outra pessoa: Eu, acredito no amor!
Beeijos.

Multiolhares disse...

deveríamos de nos lembrar que ninguém é melhor que ninguém e não deveria ser pelo cariz sexual, cor, ideologia religiosa, ou tantas outras que outros fazem o julgamento da personalidade e sentimentos
bjs

Eraldo Paulino disse...

Gente, coincidente-mente passei a semana sem net e nem pude responder aos vários comentários elogiosos que recebi. Quem me conhece um pouco sabe que escrever sobre esse assunto é sempre um prazer e um desafio por ser a luta contra a homofobia algo que tanto prezo, por questões sentimentais e convicção mesmo.

Bjs e abraços a todos e todas!

Obrigado!

Wilden Barreiro disse...

é só uma questão de REFLEXÃO, Eraldo.
o pobrezinho precisa apagar, exorcizar, aniquilar, esquartejar, desintegrar o homossexual que vê no espelho.

abraço