Seguidores

Nuvem de Tags

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Postagens Retrô

Mês de junho esta casa comemora aniversário. Faz quase um ano que comecei, não só a escrever num blog, como a ter contato com a blogsfera. No entanto, por diversos problemas, não consegui ainda imergir nem 1% do que posso (e a blogsfera permite) no oceano dos blogs. Comecei mesmo a fazer, ainda que timidamente, uma blogagem mais eficiente a partir de setembro do ano passado, por isso a maioria dos que me lêem hoje não tiveram contato com esses textos. Por isso, neste mês celebrativo trarei alguns desses posts e mais algumas informações a respeito das paulinisses, como o porquê do nome e a postagem que até hoje não tive coragem de fazer, tratando sobre o aborto. Guardando os agradecimentos e as formalidades para uma outra hora, deixo aqui o primeiro texto desse mês retrô...
______________
HOMOFOBIA É PECADO




A homofobia é uma vila cheia de vizinhos casados, em que aquela mulher fofoqueira consegue se achar melhor do que a “colega” do kit-net ao lado porque transa com seu marido sem fazer tanto barulho ou sem gemer descaradamente seu prazer. A homofobia é a forma com que uma porção de cabeças duras se baseiam no senso comum equivocado para externalizar suas debilidades humanas. A homofobia fere, destrói, e parte de covardes. A homofobia é cruel. A homofobia é nojenta. A homofobia é pecado.

O preconceito contra gays, lésbicas, bissexuais e travestis, no ocidente, baseia-se numa concepção fundamentalista do cristianismo. A base dos cristãos-homofóbicos parte basicamente de algumas máximas típicas. Entretanto, se Deus disse “crescei e multiplica-vos”, e por isso é uma aberração haver um casal gay, então um casal formado por homem e mulher estéreis é também cruel? Se um casal transa sem objetivo de ter filho ele está cometendo pecado? Na bíblia, livros como o de Levítico e as Epístolas paulinas condenam a homossexualidade, mas o livro do Levítico também diz que mulher menstruada é impura e deve ser afastada da sociedade (Lv 15) e Paulo declara que mulher não pode se manifestar publicamente sem o consentimento do marido (I Cor 34 s). Portanto, o mesmo preconceito que possibilita essas proposições machistas, também provoca tais condenações homofóbicas. A base bíblica desses preconceituosos travestidos de cristãos é tão sólida quanto um pudim estragado, e, como diria Ruben Alves, para as pessoas de bem, toda lei deve ser submetida ao bom senso.

Outro argumento muito usado por homofóbicos é que a homossexualidade e a bissexualidade são uma mera escolha. Quem é que escolhe se achincalhado publicamente pelas pessoas que mais ama e por pessoas que nem conhece? Qual o indivíduo que chegando a certa idade escolheu ser vítima das garras cruéis de uma sociedade padronizadora? Se fosse uma mera questão de escolha, quantos padres não escolheriam deixar de ser gays? Quantas freiras não escolheriam deixar de ser lésbicas? Quantos filhos machos de pastores da vida não escolheriam deixar de sentir aquele formigamento quando chegam perto do seu homem desejado? Perguntem pra quem está no grupo LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis) se o que sentem não faz parte deles tanto quanto faz parte deles o desejo de amar e serem amados e amadas.

Algum tempo atrás, era comum uma pessoa branca entender que as pessoas negras são inferiores. Hoje em dia também é, mas existe uma reflexão bastante avançada sobre essa questão que força o indivíduo a, ao menos, ter receio de escancarar seu racismo. O mesmo processo, espero, acontecerá com os homossexuais. Só que com os homossexuais reside um problema ainda maior, porque uma mulher branca pode escolher um marido branco pra não ter um filho negro. Mas ninguém pode impedir que seu filho nasça gay, e essa imprevisibilidade é aterradora para pessoas acomodadas intelectualmente.
Ter receio do que é diferente e reagir com preconceito é intrínseco aos seres humanos. Eu mesmo, quando percebi que minha irmã era lésbica, uma das criaturas que mais amo no mundo, fiquei apavorado. Naquele momento entendi que ela estava sendo abduzida por lésbica perversas. Logo a minha irmã que sempre foi bem mais esperta que eu. Hoje, graças a espiritualidade conciliada com a racionalidade, ao bom senso, e a vontade de não ser medíocre, eu continuo amando e admirando a minha irmã como se nada demais tivesse acontecido, porque de fato não aconteceu.

O Apóstolo Paulo declarou que o amor é o dom supremo de Deus. Podemos fazer tudo, mas se não tivermos amor, nada seremos. Então devemos forçar um homem gay a casar com uma mulher, mesmo sabendo que ele jamais amará de verdade sua esposa? Se nascer com uma lésbica o desejo de amar uma mulher isso não é um dom divino? Existe forma perversa de amar? Um homem pode ser caridoso, ter fé, ter esperança, como diria Paulo, mas sem amor nada disso vale, porque a única coisa que só brota de Deus é o amor. Se um homem ama um homem, se uma mulher ama uma mulher, esse amor é sublime, puro, e honroso, porque tudo que vem de Deus assim o é. Deus é amor, e amor só dele brota. Agora, principalmente para os crentes e as crentes eu pergunto, de onde brota o preconceito? De onde brota a vontade de oprimir? De onde brota a crueldade? É de Deus?

Bem aventurados os Gays, as Lésbicas, os Bissexuais e os Travestis, porque vocês são esmagados pelas igrejas dos homens, mas no Reino de Deus serão livres.

15 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Parabéns pelo o aniversário de seu blog. O amor é amor apenas entre duas pessoas e pronto, não importa que seja homem com homem, mulher com mulher jacaré e lobisomem. Não tem regras.

BeijooO'

Luna Sanchez disse...

Eraldo,

Lembro desse post, gosto da tua visão das coisas, faz tempo que sou fã. ;)

Parabéns pelo aniversário do blog, viu?

Saudades, seu sumido!

Beijos, querido.

ℓυηα

Déia disse...

Feliz Aniversario pro blog!

E vamos viver o amor!

Qualquer maneira de amor vale a pena!

bj

A Mina do cara! disse...

Uma hora as pessoas verão, pode ter certeza.

[Ananda] disse...

ebahhhh,^^quero bolo.xD
é lembro acho q te acompanho desde setembro ,ai conheci a blogesfera tava atrás de alguma informação do show de titãs,época feliz..bom,eu já li algum dos teus posts mais antigos.xD
bom,parabéns.

Michele P. disse...

Olá Eraldo!

Também já havia lido este texto. Se bobear foi através dele que comecei a acompanhar o teu blog. =)
Parabéns pelo primeiro ano de vida na blogosfera!

Beijos

Sara disse...

Eraldo parabéns, que venham muitos outros aniversários das suas palavras criativas...e o amor é sempre divino, seja ele hetero ou não, aliás o amor é a única coisa divina que existe. Só consegue ir contra isso quem não é capaz de amar na plenitude deste sentimento.
Todos os tipos de preconceitos são manisfestações da falta de amor, e falta de amor gera falta de respeito.
abraço

Léo Santos disse...

Bah! Desculpe-me Eraldo! Não quero te encher a paciência, nem tirar o teu tempo, mas é que eu tenho uma lembrancinha - parece tia velha né? - pra te dar lá no Nota Preta! Passa lá?

Um abraço pra ti!

Alline disse...

Eraldo, eu ainda não conhecia o texto. Muito prazer!

Preconceito é uma merda, seja contra gays, heteros, magros, gordos, altos, magros, ignorantes, nerds, negros, índios, emos, hippies... contra qualquer um.

Todos nós merecemos respeito - pelo que somos e pelo que ainda vamos ser. E tenho dito. ;)

Beijãozão e parabéns pelo niver!

Tânia Meneghelli disse...

Oi Eraldo!

Eeeeba, tem festa aqui! PARABÉNS!

Olha, não apenas concordo com esse texto que você reeditou, como assino embaixo. Há um tempinho atrás abordei o assunto também, com a mesma indignação que você mostrou aqui.

Parabéns pela clareza de ideias, viu?

Montão de beijocas!

António Rosa disse...

Eraldo

Conheci o seu blogue através do Léo do Nota Preta e fiquei seu seguidor.

Parabéns pelo aniversário do seu blogue.

Já li vários posts, mas vou continuar aqui a ler os seus textos que são uma visão muito especial da vida.

António

Atitude: substantivo feminino. disse...

Parabéns pelo niver do blog!

Homofobia é crime.(ponto)
A questão não é meramente o preconceito, porque todos temos algum tipo de preconceito, a discriminação é que é algo abominável.
Acho que já caminhamos com relação a isso, a passos de cágado talvez...mas estamos evoluindo. Vejo uma sociedade tentando pensar diferente, embora ainda imbuída de culturas e tradições obtusas.
Não é só o homossexual que sofre. Negros, brancos demais, albinos, ruivos, obesos, mulheres fora do padrão estético, deficientes físicos, pessoas fanhas, nordestinos..todos estamos de alguma maneira expostos a pressão da imagem sustentada pela mídia como "perfeita".
E é essa imagem da perfeição que hoje faz guerra, divide mundos e comete atos de violência contra o próximo.
Temos que nos libertar desse rótulo urgente, se quisermos ser pelo menos um pouquinho mais evoluídos espiritualmente.
Somos iguais. Fazemos cocô igual.No final...todo mundo vira pó!

Beijos, querido!
Parabéns pelo post!

Gilson disse...

Parabéns atrasado pelo niver do Blog e parabéns pelo excelente texto, bem fundamentado.
Se Deus é amor, toda forma de amor é válida.

Abs

Diogo Didier disse...

Belo texto!

A homofobia não deve ser tratada apenas como mais um dos fenômenos da violência urbana, mas sim, como reflexo de uma sociedade que guardar dentro de si dogmas ultrapassados para justificar tal ato.

PARABÉNS querido pela reflexão!

bjoxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Suzana Martins disse...

Eraldo,

você sabe que sou sua tiete, não é? rs... E essa sua postagem é de uma riqueza imensa, de uma beleza e é, simplesmente inteligente demais.

Será que sou uma pecadora sem moral por ser gay?

Bem aventurados somos nós que nos entendemos e vivemos na diferença.

Beijos meu amigo