Seguidores

Nuvem de Tags

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Postagens Retrô - 4

Esse eu tenho certeza que a maioria ainda não leu! (viu, Tânia?! rsrs) Eu o publiquei quando tinha só 3 seguidores. É um texto doce e sensível - editado.

PALAVRÃO É O CARALHO

Alguém já pronunciou "Puta que Pariu" num momento de raiva? Não? Então Experimentem. É uma verdadeira terapia pronunciar essas palavras dando ênfase nas sílabas "PU" e "PA"; garanto que é algo verdadeiramente terapêutico. Acho cafona a visão que muitos/as tem hoje em dia dos palavrões, como se fosse algo pervertido, digno de tapinhas na boca, mesmo em pleno século XXI.

Ano passado, em São Paulo e na Bahia, livros didáticos foram "flagrados" contendo palavrões em tirinhas ilustrativas. Aí pronto, toda a sociedade moralista se viu revoltada com isso. Até penso que pais e educadores devem ter pensado "puta que pariu! quem foi esse filho da puta que deu essa mancada?!", mas é inconcebível seus filhos e filhas dizerem o que todo mundo diz, nem que seja em pensamentos. E até parece que os palavrões contidos nas tirinhas seriam alienígenas para as crianças. Sei que há pessoas que não chamam palavrão, mas não há pessoa com mais de 6 anos que não conheça um vasto repertório de palavrões.

Os palavrões carregam discriminação tamanha consigo devido a sua origem quase sempre associada a sexualidade, e nós, cidadões e cidadãs do século XXI, ainda não nos sentimos a vontade com temas envolvendo foda e seus adereços. Mas acontece que na grande maioria das vezes os palavrões são usados como interjeição, e nesses casos, as pessoas usam para expressar com mais vigor seus sentimentos, e nem o dizem pelo sentido literal da palavra. por isso, para mim, é inconcebível tamanha espécie causada por essas palavras mágicas. Na verdade, é um paradoxo que justamente a caretisse das pessoas dêem o devido gosto aos palavrões. Tenho certeza que se fosse permitido, chamar alguém de "culhão" não seria tão bacana.

Eu acho lindo crianças e mulheres chamando palavrão. Não porque eu de fato veja muita graça nisso, mas toda vez que eu vejo mulheres e crianças chamando palavrão, eu penso que um pouco da hipocrisia do mundo está caindo. Afinal de contas o que é foda, no sentido literal do palavrão? É sexo, é fazer amor; o que tem de demoníaco nesse prazer que Deus deu às pessoas? O que são caralho e buceta? São órgãos genitais que as pessoas convivem diariamente, seja com os seus próprios, seja com o dos outros; de uma forma tão natural como convivem com braços e pernas, então por que condenar uma criança que chama caralho ou buceta? O que é puta que pariu? é uma profissional do sexo que deu a luz a uma criança; como é que isso pode ser visto como algo feio por alguém? Ou seja, mesmo os palavrões em sentido literal não têm nada demais.

Até entendo palavrão como indelicado em alguns casos, porque devemos respeitar a cabeça dos outros. E como não sou "dependente químico" de palavrão, eu aceito não chamá-lo em certos ambientes para não causar desconfortos gratuitos, mas quando alguém usa o discurso de que isso é pecado ou falta de educação, eu me pergunto sobre o que é pior para a sociedade, as pessoas encararem sua sexualidade com maior serenidade e maturidade ou manter essa manta hipócrita sobre temas envolvendo sexo como se foder não fosse uma coisa do caralho, e como se estar afinado com sua sexualidade não fosse essencial para o bem viver de todos/as.

Se não gostaram, podem mandar eu tomar no cu ou ir pra casa do caralho...

PS: Não admitam que "Cu"seja considerado palavrão... pois tem só duas míseras letras!
____________
Imagem extraída do blog Correio de Notícias, no qual encontrei um debate na linha desse texto que escrevi, demonstrando que o que falo sobre palavrão e relaxamento está comprovado cientificamente (viu? Num disse?!). Vale a pena ler.

16 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Muito bom seu texto, todo mundo fala palavrão, não tem jeito, é até natural um jeito de relaxar daquele momento estressante. Foda-se todos que não concordem!

BeijooO'

Sara disse...

Nossa* muito bom este texto hein Eraldo, adoro esta maneira aberta de dizer as coisas viu, sem pudor.
É verdade que não fao muito esses termos, mas nas poucas vezes é mesmo um grande alívio.

*Puta que pariu...rsrs

abraço

Atitude: substantivo feminino. disse...

Eu falo direto.
Não porque quero agredir alguém ou porque desejo demonstrar austeridade..falo para me sentir mais leve, assim como vc se sente com o Pu e o Pa.
Acho que deve ser o mesmo.
Fico muito irritada quando assisto novelas e o cara vira para o vilão e diz: Seu crápula! Você arruinou a minha vida! Você não sabe do que eu sou capaz, você vai se arrepender por isso.."
Tipo...morro de ódio..
Ninguém fala assim, cara...
Muito mais leve e natural seria
Seu filho da puta! Vc fudeu a minha vida! Mas eu sou do caralho e vou te fuder também.

É isso.
Kisses,

Fátima disse...

Muito bom o texto! controverso, afinal somos plural, oque é normal à uns, se torna totalmente dispensável à outros. Mas uma coisa tenho certeza odeio a hipocrisia.

Beijos
Bom final de semana

Luna Sanchez disse...

Rs...adorei!

Eu não falo muito, nem sempre, falo às vezes, e não porque me policio, e sim porque é o meu jeito.

Estou na fase do "Cacete!", agora. ;)

Beijos, querido!

ℓυηα

Raquel de Carvalho disse...

Bom pra caralho!!!
kkkkkkkkkkkk
De verdade...concordo muito com vc! Vivo ouvindo: ahhh, que feio, mulherzinha falando palavrão!!! Mas é tão bom né?? Descarrega mesmo toda a raiva...e o melhor, concordo com vc... é o puta que pariu messssssssmo!!!!!!!

Bjão

Ah...obrigada pelo carinho lá no blog, viu!!!

Lury Sampaio disse...

Eeeras amei o texto, mesmo, acheio do caralho hehe
Queria que às pessoas pensassem assim que nem você e não falassem, uma moça tão bonita falando palavrão, ah vai se fuder u.u' kk'
Muito bom o texto, beijos.

Jamylle Bezerra disse...

Engraçada essa historia do palavrão "ilustrado" né?

bom fds!!!

[Ananda] disse...

gostei ,do kralho lol,se tá fazendo eu falar palavrão depois de fazer de td pra me controlar mais.xD.
LURY concordo uma merda isso "uma moça tão bonita falando palavrão",dá vontade de mandar pra casa do kralho,putz meu eu odeio quando alguém vem me dizer isso,ou quando me olham com kra de preconceito quando falo algum palavrão como se o mundo fosse cair,ano passado na minha sala tinha umas gurias assim,putz dava raiva de td isso e continuo tendo.
VIVA AOS PALAVRÕES.E a alguém q tem coragem de escrever sobre eles.AMEIIIIIIIIIIIIIIIII!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fátima disse...

obrigada pelo teu carinho com as minhas palavras.

Continue
Beijos

António Rosa disse...

Eraldo,

Muita lucidez este seu texto que gostei muito. Abraço.

***MissUniversoPróprio*** disse...

Hahaha! Verdade, querido, esse eu realmente não tinha lido, viu? ;)

Eu chamo palavrão e atire a primeira pedra quem não chama, nem nunca chamou! ;P

O melhor foi o CU, com as duas míseras letras! kkkk

Beijocas e obrigada pela força d sempre!

Nini C . disse...

adorei o texto, realmente falar palavrão nos momentos de raiva é uma ótima terapia, rs...
achei seu blog no de uma amiga e gostei muito do que lí, já estou seguindo, se puder visita o meu, beijos...

Andréa Silveira disse...

fiquei um bom tempo sem falar palavrões, mas agora sai de vez em qdo... =)

Obg pela visita! Abraços!

http://meuprojetopiloto.blogspot.com/

Léo Santos disse...

Não gosto de ver crianças falando palavrão! Agora, mulheres, bah, quando vejo uma mulher falando cu ou buceta me apaixono imediatamente por ela! Concordo contigo e adorei o teu texto, muito bom mesmo! Parabéns pela coragem de trazer à tona um assunto tão discriminado!

E já que tu é mestre em traduções literais de palavrões me explique: - Vá se foder!

Um abraço!

Mistic Vampire disse...

Vulgaríssimo e completamente chulo. Um texto com objetivo pobre e deplorável. Isso aì, crianças e mulheres falando plavrões, que beleezaa! ¬¬' Nota 0.