Seguidores

Nuvem de Tags

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Sem efeitos especiais


Outro dia subiu um homem no ônibus e começou a fazer aquelas pregações típicas de pessoas inconvenientes que acham que Deus é mal educado e que invadiria o coração das pessoas assim, sem ao menos perguntar se elas estão dispostas a ouví-lo. A pessoa até estava falando bem aquelas mensagens genéricas que sempre falam pessoas do tipo, quando resolveu soltar uma pérola: "Viram o caso do Haiti? Aquilo foi castigo! Aquela gente costuma adorar animais, não crêem no nome do Senhor, e por isso sofreram as consequências. É preciso que nos convertamos para não seguirmos o mesmo rumo".

De tão absurdo, nem vou comentar o que ele disse, mesmo porque ele só externalizou de uma forma infeliz o que se convencionou a chamar de Deus: um ser mágico e egocêntrico que pode tanto fazer efeitos especiais em nossas vidas como pode nos jogar no que Ruben Alves costuma chamar ironicamente de "Câmara de tortura eterna".

Mas se Deus é um ser mágico mesmo, por que o filho do Pastor morreu de câncer? Por que o Papa levou um tiro? Por que a Terra Santa nunca está em paz? Se o inferno existe, então só quem deve virar a outra face são os discípulos, e o Pai do Mestre é um hipócrita? Hora, se Deus castiga as pessoas por justiça, então foi justo o que Deus fez ao povo egípcio, matando todos os seus primogênitos para salvar o povo hebreu da escravidão, como se o povo tivesse culpa?

A bíblia é um livro formidável, mas não é um livro científico, nem tão pouco possui inscritos infalíveis que justifique tanta arrogância que costumam ter alguns religiosos. Se Ela for lida de forma contextualizada, levando em consideração a essência da mensagem e não uma visão literal, então podemos extrair lições maravilhosas dela, mas se não, podemos ter pessoas que, como o cara do ônibus, provocam no mínimo a raiva de pessoas com bom senso. As religiões são canos que tentam direcionar a água para os rumos que querem. Canos que, ou por estarem enferrujados ou sujos, costumam contaminar a água que é cristalina na fonte.

No fim das contas, o cara do busão queria mesmo era vender alguns produtos - assim como fazem alguns por aí, para uma platéia hipnotizada. Por isso, por hora recomendo: Nunca compre Deus! Pois ele está disponível gratuitamente, no lado limpo do seu coração.

Já pensou se alguém inventa uma máquina do tempo e ao voltarmos dois mil anos atrás víssemos que Jesus não ressuscitou ao terceiro dia, não transformou água em vinho e nem multiplicou os pães? Quantos continuariam acreditando nos ideais cristãos? Eu continuaria.

7 comentários:

Luna Sanchez disse...

Pois eu também continuaria, porque não creio nessas coisas de forma cega e literal, creio porque sinto, porque confio.

Beijos, guri. Dois.

ℓυηα

Déia disse...

Deus não está a venda!

E tenho certeza que ele não é assim, cruel, dando castigos e cheio de mágoas no coração.

Deus está em nós!

Odeio quem tenta me convencer do contrário rs

bj

Alline disse...

Deus está no ar, nas árvores, em cada um. Não fica só em imagens e igrejas ou na pregação desses doidos. Ainda bem!

Beijô!

Altavolt disse...

Grande Eraldo, é isso aí! Fé não é para ser explicada ou entendida, é para ser sentida! Abração!

Se7e/5 disse...

Aqui o se7e/5 vai oferecer-lhe um comentário útil e não essa merdice de favor que essa gentinha espalha por aí. Será que você merece? É uma dúvida fodida, mas, aqui o se7e/5 vai mudar seu pensamento, vai ativar seu cérebro. Se não sentir qualquer mudança, é porque seus últimos neurônios já eram.
Muito lindinho, mas inconsequente. Sem aquela profundidade útil. Apenas mais do mesmo. Aqui o se7e/5, vai mais longe, pretende espicaçar vossos neurônios preguiçosos. Aqui o se7e/5, vai mais longe, pretende espicaçar vossos neurônios preguiçosos. Abrir vossa fé de alto abaixo. Obrigar-vos a revelar o que de muito útil existe em você, caro lindão. A lindona também não é de deitar fora; muito lindinha mesmo. Bem, mas vamos ao que interessa:

“A cultura é uma merda cansativa. Ter de saber tudo ou, pelo menos, mais do que os outros, não deixar cair a “pena”, manter a noção do texto corrigido antes de o escrever. Estar permanente sóbrio num estado de embriaguez, quando apetece vomitar sobre os intelectuais de novela da hora nobre. E em nós também. Por que não suportar propostas políticas aliciantes, intelectuais e corrupção?
Ao serviço do poder, do partido, dos lados ou das cores; qualquer desculpa serve o propósito. E a cultura é apátrida! E conservar a imagem de personalidade do ano, como tias “estafermadas” sem corpo, sem neurônios, sem vergonha na plástica e a cultura que se foda! Estes intelectuais transpiram diferença e indiferença, inspiram o oxigênio do euros, dólares e reais e a expiração tem o curto prazo de um governo eleito. Sem tempo para respirar, porque a cultura é asfixiante , porque ler um livro não basta, nem milhões de livros garantem uma cultura de se lhe tirar o chapéu. Uma chapelada. Não há tempo para respirar cultura! Apenas se aguarda uma cajadada no lombo porque o pastor se aproxima para escolher uma ovelha ranhosa para o sacrifício. As ovelhas ranhosas são perigosas, tal como as ovelhas brancas em rebanhos de ovelhas negras. As negras também se abatem mas, antes da prática carniceira, são discriminadas.
Não há ovelhas negras em governos Brasileiros. Talvez haja. Jogados a um canto escuro a coberto da noite, onde permanecem até a aparição servir uma conveniência branca. Tal como qualquer outro rebanho. Tal como as tias e descrentes que se movem em espaços virtuais, pastando como ovelhas negras, frequentando círculos próprios onde se isolam em divagações de alta sociedade, cuspindo disparates que os fazem dormir mal e acordar pior.
A cultura do sec.XXI é uma mescla de economia global, política dominante e apropriação intelectual ao serviço da proliferação da miséria e sofrimento, como factores de revitalização permanente dos esgotamentos evolutivos periódicos. Correr sem sair do lugar. O conhecimento corrompido, a cultura de almanaque, jornal desportivo e leitura alcoviteira do jet-set, remete para o conhecimento desenraizado do progresso democrático sob a égide de um Estado de Direito, mas sem qualquer ética como regra.
O fantoche intelectual é uma realidade que descansa na palma da mão e se equilibra no dedo acusador dos oportunistas sem escrúpulos, os poderosos, com objectivos de domínio global. A força dos dedos médios em riste, firmes. São estes fantoches que anestesiam e embalam as massas, mantendo-as desfocadas da realidade. Quando a dor se revela, esses intelectuais “blogosferam-se”; fogem para a lixeira inconsequente dos desabafos indignos.”

Isto é a BLOGOSFERA, na qual todos vós chafurdais, como porcos num chiqueiro. Se aqui o se7e/5 estiver errado, provem!

anandagouvea disse...

nossa q grande..xD
ai,ai Deus está em todas as pequenas coisas felizes da vida.e ele nao está a venda.
e as pessoas do Haiti nãotem nada ver essa ligação do cara.isso foi rídiculo.

Jamylle Bezerra disse...

Pois é, Deus não está à venda. Ele mora gratuitamente em nossos corações, nos corações dos que os aceita. O local onde eu trabalho fica em frente a uma praça, onde um grupo de evangélicos insiste, todos os dias, em fazer pregações. Ninguém os leva a sério e acaba que eles ficam sendo apontados como loucos. Quem quer ouvir pregações, vai à igreja. E quem quer ter Deus dentro de si, não precisa gritar para todo mundo ouvir.

Ele está sempre comigo, mas isso só interessa a mim e a ele. :)

Beijos
Bom fds!!!!