Seguidores

Nuvem de Tags

segunda-feira, 30 de abril de 2012

A Carta


Semana passada, mais precisamente na terça dia 24, eu fui cobri a maior tragédia que já presenciei. Nove pessoas morreram em um acidente horrível numa estrada que liga a Grande Belém ao interior. Tive meia hora pra traduzir o que vivenciei por mais de uma hora, num local recheado de dor, morte, e ao mesmo tempo de solidariedade e de gente viva, na tradução mais intensa que possa existir. Até agora, nesses quatro meses de jornalismo, foi o texto que eu mais gostei de ter escrito (Acidente mata 9 e fere 14 na Alça Viária.)

No dia seguinte eu fui enviado pelo jornal até a cidade das vítimas. Fui com o fotógrafo Sidney, mais experiente e muito bom profissional, e o motorista Gerson, que conhecia muito bem a cidade e foi um apoio e tanto. De lá escrevi a repercussão da tragédia na cidade (Tragédia comove milhares em Tailândia) e o velório e enterro de algumas das pessoas que havia visto mortas (Adeus às vítimas da Alça Viária). Também dei dois furos importantíssimos, nessa última matéria: o fato de que um dos motoristas, o que não teve culpa, sobreviveu quando todos achavam que ele tinha morrido, e o motorista do micro-ônibus, o irresponsável, que, além de ser acusado de ter provocado as mortes, ainda é sargento dos bombeiros.

O resultado veio em uma carta que um leitor enviou ao jornal, parabenizando as matérias. No primeiro momento, achei que seria muita presunção ficar falando disso. Por outro lado, a carta foi publicada no jornal em que trabalho, no último domingo. Portanto, não fui eu quem a divulguei, e seria muito esnobe de minha parte achar que isso não é bom o suficiente que não mereça ser comemorado. Por isso, partilho com vocês a carta que ele enviou. Quem quiser ver as fotos e a edição como ela foi feita, pode procurar matérias no caderno de Polícia nos dias 25 e 26/04 e no caderno de Cidades no dia 27/04 (cuja foto de capa, é uma das fotos mais impressionantes que já vi publicada nos últimos tempos, na mesma que exibo aqui) na edição eletrônica disponibilizada no canto superior direito no site do jornal.

Publicação da carta
UMA VERDADEIRA AULA DE JORNALISMO

Carta ao leitor publicada no último domingo (29) e escrita pelo professor Marcelo Andrade.

Acompanhei, com grande atenção, a excelente cobertura que o DIÁRIO deu ao acidente na Alça Viária, em que morreram 9 pessoas  de Tailândia. Quem leu as páginas e páginas dedicadas à tragédia certamente teve a impressão de estar lá, ao vivo, conferindo o que os jornalistas tão bem traduziram em textos e imagens.

E o que mais me impressionou foi o fato do motorista da carreta ter escapado com vida, sendo a que cabine do veículo foi destruída, esmagada. E as palavras dele disseram tudo: "Só pode ter sido coisa de Deus". Por outro lado, impossível não se comover com a dor das famílias que perderam seus entes queridos. Também me emocionei com a história daquele senhor que perdeu a esposa no acidente e sobreviveu, em meio àquele pesadelo.Disse ele que só lembra do choque, da batida e dos gritos de dor e horror à colisão. E lá pelas tantas os vários corpos, já sem vida, que ainda caíram por cima dele.

Certamente imagens que ele jamais vai esquecer. Assim é a vida: uns morrem, outros escapam, outros nascem de novo. E o que fica é a lembrança, a saudade, o afeto. E é nessas horas que a gente se questiona: Por que o destino parece tão injusto para alguns, que partem de forma tão violenta?

Na verdade, por mais que saibamos que vamos partir um dia, não estamos preparados para isso. E toda essa reflexão me veio a cada dia, a cada página, a cada palavra que li no DIÁRIO sobre a tragédia.

Confesso que não sou muito de ler as notícias policiais, mas o material foi tão bem produzido, escrito e editado que acompanhei a sequencia do trabalho e não me arrependi. Trata-se de um verdadeiro testemunho de momentos difíceis e superação a partir de um trabalho bem feito.

Como já disse, não sou muito de acompanhar o caderno com as notícias policiais, entretanto, já guardei em uma pasta as páginas sobre esse acidente e seu desdobramento. Um trabalho tão bem cuidado merece ser cuidado e novamente lido de tempos em tempos. Parabéns.

11 comentários:

Michele Pupo disse...

Eraldo

Fico feliz pelo reconhecimento do seu trabalho. Tenho certeza de que competência é uma qualidade que te pertence.
E também fico comovida com a tragédia. Jamais estaria preparada para participar de um momento destes.

Um abraço amigo

Adison Ferrera disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adison Ferrera disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adison Ferrera disse...

Lembro que no dia que a matéria foi publicada, te chamei na redação e disse que quando li teu texto eu fiquei arrepiado. Sem dúvida, afirmo, que foi a tua melhor matéria (até agora). Parabéns, mano!!

Suzana Martins disse...

Meu querido amigo, fico muito feliz pela sua matéria, e, principalmente por ter tocado tantas pessoas.
Vida de repórter é isso, não é?! Essas sensibilidades a flor da pele, matérias, e muitas vezes o tal imparcialismo. Precisamos transmistir ao público as notícias, e precisamos aguentar firme, não importa o tamanho da dor.
É difícil?! Muito difícil, mas somos seres humanos e, pronto! Não precisamos de mais nada.
Você merece todo o carinho das pessoas, e parabéns pela sua matéria, meu querido.
Vc é um grande ser humano.

Beijos na sua alma.

Mirella de Oliveira disse...

Nossa amigo, parabéns!
Sempre soube do teu talento e fico muito muito feliz com teu reconhecimento! Não deve ter sido fácil lidar com tanta dor e ainda não perder a competência que é tão tua!
Que legal, Eraldo!
Beijão...

:D

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Dizer o q sobre o Eraldo? Só mesmo parabéns ... o seu sucesso já se faz presente querido ...

bjão

Altavolt disse...

Grande Eraldo,

Isso que você faz é jornalismo sério e comprometido. Conseguiu dar um toque de humanidade em uma tragédia dessa magnitude. Os fatos, por piores que sejam, simplesmente acontecem. O que vai ficar é a maneira como foram retratados e como serão lembrados no futuro. Bons profisisonais, como você, conseguem mostrar o lado humano e digno de cada situação, mesmo diante das maiores atrocidades.

Parabéns!

Mirian Oliveira disse...

bom, sou suspeita pra falar sobre o que vc escreve, sempre disse que sou uma grande fã sua... fico feliz de ver seu crescimento e o quão vc se identifica com o que faz...
Parabéns pelo texto...
Sucesso sempre...

te dollo

bjs

Batom e poesias disse...

Nunca tive dúvidas quanto ao seu talento., meu querido, pois você consegue olhar os fatos sob um ponto de vista diferente da maioria das pessoas.
Belezinha...


bjcas
Rossana (a do batom)

Silas Moesio disse...

Parabéns pela matéria.
abraço,