Seguidores

Nuvem de Tags

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Parede de vidro

Você já se imaginou do outro lado de um vidro, a coisa está lá, você quase sente o cheiro, mas não pode atravessar? Você olha por todos os lados, procura uma porta, uma rachadura, uma fresta que seja, mas não consegue encontrar nada. O vidro tá lá. Tão intacto que nem parece de fato ali. Como é que se sente o que se sente aqui dentro encostar na nossa pele? Como se faz pra essa parede de vidro desmanchar-se nem que seja em lágrimas só pra que eu possa ir até lá? Você já se imaginou do outro lado de uma parede de vidro? Você está lá, mas lá não é suficiente, nem a si, nem a dó. Você já se imaginou do outro lado de uma muralha de vidro? Você olha pra lá, e não vê nada entre vocês, mas há.

19 comentários:

Batom e poesias disse...

Eu já...

Você devia marcar como "eu poeta". Isso ficou lindo!
Um lindo poema triste.

bj

Rossana

Luna Sanchez disse...

Não só imaginei como já vivi isso. Trauma total.

Um beijo. Adorei o texto!

Alê disse...

AdoroooooOOOOOooreiiiiiiiiii a imagem!

Rossana disse...

E qtas paredes de vidro temos que transpor no decorrer da vida não é mesmo?!
Muito legal o post! =D
Bj:)

Suzana Martins disse...

Em alguns determinados momentos do dia me sinto assim, presa atrás das paredes de vidro... É sufocante!!

Beijos querido

vanessa cony disse...

Forte viu ?
Mas penso que aquilo que é verdadeiramente destinado a nós não permanece assim...O verdadeiro derruba muralhas.
beijo no coração.

Paulo Braccini - Bratz disse...

nunca imaginei isto nem a SI nem a Do ... rs

byTONHO disse...



"Nunca imaginei isto em MI!"

"Sai da frente do espelho, Eraldo!"

Ah! ah! ah!

:o)

Maggie May disse...

eu imaginei, vivi, e derrubei…rs
consegui quebrar ou atravessar esta barreira!

ps: compra o livro, é lindo e baratinho, 9,90, e você vai descobrir este mundo novo! rs

beijo!

Michele P. disse...

Caprichou hem, moleque? Fazia dias que não lia nada tão "profundo"...


Beijos meus

Mirella de Oliveira disse...

Já, sim! Muitas vezes! Que texto hein?? Muito bom! :)

Eduardo Rodrigues disse...

Achei o máximo o "Você olha pra lá, e não vê nada entre vocês, mas há." Malditas vitrines da vida...

L. Sampaio disse...

Faz tempo que não venho aqui e adorei o novo visual!
Adorei a metáfora, mas paredes de vidro se quebram não?
beijos.

Jamylle Bezerra disse...

Que tristinho...

É só quebrar o vidro pra ir pro lado de lá! ;)

Bom meio de semana!!!

Tânia Meneghelli disse...

Eraldo,

Nunca havia me imaginado, até que estive lá também. Seis longos e sofridos anos da minha vida. Tempo demais, doeu.

Ainda bem que passou. Ainda bem que TUDO PASSA.

Beijoca!

Diogo Didier disse...

Eu acho que quase sempre sinto essa sensação...acho que é a busca de algo inalcansável, distante, incorpóreo...algo imaginário, ou real, algo visionário, difícil de explicar...

bjoxxxxxxxxxxx querido!

Rafael Castellar das Neves disse...

Cara...ficou muito bom isso...gostei da forma que colocou e tem toda razão...veio a calhar!

[]s

Eraldo Paulino disse...

Batom e Poesias: Você é que é uma linda!

Luna Sanches: Na adolescência então, ein amiga? rs bjks!

Ale: Eu adoro você!

Rossana: Obrigado flor.

Suzana Martins: Sufocante mesmo. Bjs!

Vanessa Cony: Obrigado, minha linda.

Paulo Braccini: Você é que é uma canção boa! rs

ByTONHO: pow, descobriu meu segredo shaushaus

Maggie May: Sua visita sempre é ótima, linda!

Michele P: Um dia chego no teu nível ;)

Mirella de Oliveira: Obrigado, moça! Bjs!

Eduardo Rodrigues: Malditas mesmo...

L. Sampaio: Estava sentindo tua falta, linda. Bjs!

Jamylle Bezerra: Linda você, mas quem dera que fosse tão fácil...

Tânia Meneghelli: Como já disseram anteriormente: é sufocante! Bjs, linda!

Diogo Didier: Eu até que tenho sentido mesmo. Mas é uma sensação muito forte. Marca. bjs!

Rafael Castellar das Neves: Obrigado pela visita meu caro.

SolBarreto disse...

Tem paredes de vicro que derrubamos...ja outras...
Gostei disso profundo!