Seguidores

Nuvem de Tags

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Infinito Particular




"Só não se perca ao entrar
no meu infinito particular"

(Monte, Antunes, Brown)

Nossa primeira mensagem ao mundo é um choro. O choro que anuncia a vida, a fome, o medo da porta imensa que se abre. O choro que fala da dor de cólicas, da manha pelo bem não adquirido ou mesmo um protesto pela mãe que abraça um outro alguensinho. Infelizmente, o mundo parece ter perdido a capacidade intrínseca da poesia, ou talvez no momento em que substituímos o choro pelos verbos esqueçamos de trazer as interpretações do olhar, do corpo, do contexto, que faz a mãe não se desesperar ao extremo quando observa o pequeno amado a plenos pulmões. O mundo parece estar cada dia mais literal, seja no tiro que mata alguém na esquina, seja no gozo puro e simples dos casais do agora ou nunca, seja no sim e no não demasiadamente objetivos que muitas vezes amputam as utopias e tornam os sonhos mais insossos, pré-rotulados, tabelados e com preços afixados em etiquetas de plástico.

Mas tudo o que fazemos é chorar. Choramos pelo salário maior cortejando o que apetece o chefe. Choramos pelo corpo desejado, pelo amigo perdido, pela mãe envaidecida, pelo mendigo que provoca o desviar de olhares. Choramos, porque ainda hoje não sabemos o que dizer. As guerras são choros de meninos mimados e malvados que querem o brinquedo do outro. Choramos porque temos medo. Choramos porque temos medo de chorar. Choramos até mesmo em nosso silêncio.

As palavras não passam de choros artificiais, um revestimento muitas vezes fajuto de nossas almas. Quantas vezes a palavra é um choro metido a besta? A palavra, assim como o choro, sempre quer dizer alguma coisa, o problema é que, ao contrário da mãe que entende a essência do filho, nos preocupamos muito com o que dizem, e quase nada com o que as pessoas querem dizer. Nem tudo que queremos cabe numa gramática.

26 comentários:

António Rosa disse...

Eraldo,

Chorar é bom, quando se trata de deitar cá para fora as coisas ácidas que temos. A lágrima vira um breve movimento de purificação. Muitas palavras foram escritas sobre o tema, mas estou de acordo consigo: não cabem em uma gramática.

Abraço,

António

disse...

Imagina se a gente não chorasse... Freud iria nos considerar um bando de gente reprimida!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

bjos e bom findi!

Crônicas do Cotidiano disse...

Olá amigo Paulino!

Eu tenho o hábito de dizer que: Quando a criança nasce, já vivencia seu primeiro despejo! Rs... De fato o choro é a ferramenta mais primitiva que existe, mas muito eficaz! Diz muito e cabe ao receptor compreender o não dito e desejado.
Concordo contigo Paulino... As coisas se complicaram em demasia. As palavras ficaram mais complexas e o homem se perdeu em gerúndios há tempos. O mundo não tem mais um modelo balisador, algo que diga aqui é quente e assim é gelado. Está tudo morto e todo mundo pode colorir e pintar uma verdade própria.

Por fim, penso que em meio a tudo que OUVIMOS e vemos, nem choro pode reivindicar e dar tom de protesto.

Parabéns pelo texto! Perfeito...

Abraço amigo Paulino

Daniel Savio disse...

É um sentimento sem verdade, sem eco, pois quando "choramos" pelos os outros, fazemos porque é humanamente correto, não que seja o certo a se fazer...

Hua, kkk, ha, ha, não dá para ficar gripado no final de semana, pior que nem é fase de gripe (com nariz escorrendo e espirando), é parte de ficar sem voz ao ficar falando, fato, maior melda.

Fique com Deus, menino Eraldo Paulino.
Um abraço.

tonhOliveira disse...



G∞d!

:)

Batom e poesias disse...

Eu não compreendo esse "infinito" das nossas aflições.

Chorar por tudo e por todos...
Não devia ser assim.

Beij♥

Rossana

airlon disse...

(em tempo: um dos melhores episódios da Grande Família que lembro de assistir foi exatamente o de ontem, onde mostrava que o Lineu, a princípio, não conseguia chorar porque era uma rocha, não esboçava sentimentos). Saudações musicais...

APS

Michele P. disse...

"Nem tudo que queremos cabe numa gramática"

Bagno iria amar esta frase. rsrs

Você tem razão.

Alline disse...

Eraldo, nem todas as nossas emoções cabem em palavras, às vezes elas extrapolam, tornam-se indizíveis.

Eu choro, viu? Por mim, pelo outro, pela falta, na dor, na TPM, de emoção, de raiva.
Mas não todo dia, senão ia desidratar. ;)

Um beijo maiúsculo pra ti e bom fim de semana!

***MissUniversoPróprio*** disse...

"[...]talvez no momento em que substituímos o choro pelos verbos esqueçamos de trazer as interpretações do olhar, do corpo, do contexto[...]"

Perfeito isso.

E concordo contigo, às vezes a gramática é incapaz de expressar o sentimento. E então, o que seria verbo, vira lágrima.

Beijos!

Valéria Sorohan disse...

Eu tenho estado tão vazia ultimamente… Tão estranha em minhas entranhas, que seu texto encaixa perfeito com o que sinto. O que quero, realmente não cabe numa gramática.

BeijooO*

Suzana Martins disse...

Tenho chorado tanto ultimamente, numa procura insistente de mim. Chorei em suas palavras, chorei em ler você!!!

Lindo deeemais!!!!

As suas palavras e o seu choro, rs...

Adorei!!

Abraços

SolBarreto disse...

Adoro seus textos!
A palavra, assim como o choro, sempre quer dizer alguma coisa, o problema é que, ao contrário da mãe que entende a essência do filho, nos preocupamos muito com o que dizem, e quase nada com o que as pessoas querem dizer. Nem tudo que queremos cabe numa gramática."
Tomei a liberdade de copiar essa parte e colocar no meu blog no cantinho de valem a visita...espero que nao se importe, qualquer coisa me avise!

so sad disse...

choro quando estou triste, mais ainda quando tenho raiva, choro de saudade do que já vivi, mais ainda do que não vivi...
beijo!

Os Pombinhos disse...

É um modo bem copo-vazio de ver a vida, mas eu entendo. Vez ou outra somos mesmo apenas bebês chorões. E também acho que deveríamos entender melhor o que as pessoas querem dizer ao invés de nos reter apenas no que de fato dizem. Ou choram, como queira. Texto muito bem escrito, parabéns.

Beijos, a namorada.

Jamylle Bezerra disse...

Chorar é tomar um banho de dentro para fora, é lavar a alma... e isso todos nós precisamos fazer, uma hora ou outra!

Bom fds querido!!!

[Ananda] disse...

chorar é bom,mas nem sempre,e a alegria ,e o sorriso onde ele entra nisso?
eu é q não quero ficar sempre chorando,acho q as vezes me canso disso,quero amor,quero alegria,risos,as vezes o silêncio e a calma ,o choro quero chorar sim mas não sempre.

Luna Sanchez disse...

É por isso que eu choro baixinho, exatamente por isso, meu bem.

* Lindo texto, que nem tu.

Beijo,

ℓυηα

Atitude: substantivo feminino. disse...

Eu choro bastante.
Se brigar, choro
filme bonito, choro
filme triste, choro
lembranças tristes, choro
tristeza, choro.
Nunca chorei de alegria. Engraçado isso, né?
Vejo gente chorar de felicidade.
Caraca..não consigo.
Só consigo rir.
Eu jamais poderia ganhar uma casa do Luciano Hulk..não ia parar de rir e não ia derramar uma lágrima...não iria ao ar.
Por isso costumo dizer que choro de rir.
Porque é isso mesmo que acontece.
Meus olhos lacrimejam.
Mas é riso, não é choro.

Eraldo Paulino disse...

Antônio Rosa: Delícia as tuas visitas sempre. Valeu!

Rê: E num é? rsrs Bjs!

Crônicas do Cotidiano: Concordo contigo, meu caro. Abs!

Daniel Savio: Eu não sei se é certo chorar, mas eu acho que sempre choro certo rsrs Abraços!

TonhOliveira: tem qui ú!

Batom e Poesias: Não compreendo muito disso também, minha linda, acho que a graça reside nisso. Bjs no batom!

Airlon: Eu vi! Também achei incrível a conisciência! Abs!

Michele P: Tá vendo? As vezes a gente chega a um acordo rsrs Bjs!

Alline: Eu também choro. Choro mais do que gostaria, inclusive rs Bjs!

MissUniversoPróprio: Obrigado pelo carinho minha linda. Bjs!

Valéria Sorohan: Vazios me acometem e muito, minha linda. Sei exatamente como é. Bjs!

Suzana Martins: Choros convergentes, pelo visto. Bjs sem choro, minha linda!

SolBarreto: E eu estava com saudades de você, minha linda. Bjs!

so sad: Choramos por isso tudo, por mais que não saia uma lágrima qualquer. Bjs!

Os Pombinhos: Não entendi muito bem a tua exprssão "copo vazio", mas não acho que o texto seja uma forma de ver a vida, e sim uma forma de ver o choro rsrs Bjs, querida. Adorei a visita!

Jamylle Bezerra: "Chorar é tomar um banho de dentro pra fora" Uau! Linda frase. Bjs!

Ananda: O sorriso também é um choro, minha linda. Se é que me entende. Bjs!

Luna Sanches: Lindo que não chega aos pés da beleza de tua boca. Bjs!

Atitude: Substantivo feminino: Eu também lagrimo quando gargalho. E como sou um verdadeiro risadinha, acho que lagrimo mais quando rio do que quando eu choro. rsrs Bjs!

Hana disse...

Adorei este recado a vida, maravilha de blog maravilha de post, aki te sigo te leio e te persigo, e obrigada pelos momentos que aki passei viu.
com carinho
Hana

Priscilla Marfori... disse...

Olá, estarei te seguindo Eraldo, me siga?
Tenho também Fotoblog:http://fleshspriscillamarfori.blogspot.com/
Grande abraço.

C. Mantovani disse...

Olá! Vim lhe visitar por indicação da cara Michele P. e sim, seu blog é muito legal!! Já estou seguindo!!
bj grande!

Déia disse...

é verdade. Choramos pq os olhos retratam a verdade da alma...
Nas palavras, podemos enganar, enrolar, disfarçar... mas nas lágrimas, o sal é real!

bj

Adison César Ferreira disse...

Eu sou um chorão assumido. Não controlo minhas lágrimas, choro mermmooo!!
Parabéns pelo texto meu querido!

Eraldo Paulino disse...

Hana: Eu que agradeço todo carinho. Bjs!

Priscila: Já estou seguindo!

C. Mantovani: A Michele é uma fofa mesmo! Bjs!

Déia: O choro fingido só cabe nos palcos, porque fora dele, é um pecado mortal rs. Bjs!

Adison: Obrigado, meu queriiiiiiido!