Seguidores

Nuvem de Tags

domingo, 26 de junho de 2011

Coisas e Coisas

Seguindo as homenagens aos meus amigos da blogsfera, hoje gostaria de partilhar um texto de alguém que me muito inspira o meu eu safado. Não foi muito fácil escolher alguém pra me ajudar com esta postagem, pois graças a Deus acompanho muita gente safada (oi?), mas, devo confessar que sou completamente apaixonado pela Nina, criação de Alline do blog Coisas e Coisas. Alline, aliás, é o arquétipo da mulher do século XXI. Linda, livre, sem amarras machistas, e principalmente muito inteligente e escreve crônicas com uma energia incrível. Ainda bem que Canalha... 




 SOMOS DOIS

Queria chegar cedo e passar o som com os rapazes, seria nosso último show antes de eu viajar para Floripa. Sem carro, busquei o ponto de táxi a duas quadras do apartamento, na frente da padaria. Da esquina já vi o carro, um Uno com cara de rodado, o último do ponto. O taxista falava ao celular e pensei que não faria diferença se eu passasse na padaria para comprar cigarro, afinal a noite ia ser longa. Peguei logo dois maços, um saco de balas de hortelã e o último pastel de carne do balcão e fui fazer contato com o homem.
Ele me viu e sacudiu a cabeça e o indicador ao mesmo tempo querendo me afugentar. Custei a entender por que fechou a janela na minha cara. Era bem provável que se eu não tomasse uma atitude iria ficar para trás. Dei a volta no carro e me instalei no banco do carona.
Encarei-o de frente. Barbado, suado, a camisa aberta no peito ornado pelo cordão fino de ouro com um crucifixo. Abri a boca para dizer alguma coisa e quebrar o gelo, mas ele foi ríspido ao me interromper – não estava livre. Canalha! Sem dúvida me interessou, não pelo conjunto previsível, mas pelos lábios grossos que logo imaginei me percorrendo os bicos do peito. Me beija lá, vai... Também chamou a atenção a aliança na mão esquerda, uma aliança vistosa de quem não esconde seus laços. 
- Eu não vou sair daqui enquanto você não disser que vai me levar.
Ele desligou o carro.
- Tá certo, moça. Pra onde?
Pegou o endereço da minha mão, me tocou, e não consegui ficar indiferente à intensidade de seus dedos, meu estômago se contraiu inteiro. Ele? Não demonstrou nenhuma emoção e me mandou colocar o cinto para podermos ir embora logo. Podia ter me ajudado, podia ter me agarrado de surpresa e feito... feito tudo! Mas só deu a partida no carro. 
Reclamei do calor, puxei assunto, falei de mim e aos poucos ele foi relaxando. Não sabia se devia, talvez fosse minar o clima amistoso que demorou a se estabelecer entre nós, mas a curiosidade foi maior que tudo. Então você é casado? Ele fez que sim com a cabeça sem parar de mascar chiclete.  
- E você? É?
- Não tá vendo que não uso aliança?
- Isso não quer dizer nada.
- Se eu fosse casada usaria.
- Se fosse casada sairia com outro cara?
- Depende.
- Depende do quê?
- Se ele fosse um amigo, por exemplo...
- Não tô falando disso.
- Eu vou ser obrigada a responder?
- Sairia comigo?
- Com você?
- É. Por que não?
- Por que não?
O sinal estava verde. Será que vai dar tempo? Eu ri, não precisava traduzir meu desejo em palavras para aquele ali. Canalha! Ele sabia que ia me conduzir e fez uma ligação antes de se desviar do caminho indicado no papel. Canalha!  
Entrei na frente cheia de expectativa. A sala comercial aparentemente desocupada era o local de encontros dele e dos colegas do ponto. Estava imaginando coisas? Havia apenas o colchão de solteiro encostado na parede e o frigobar caindo aos pedaços no outro canto. Ele esticou o colchão.
- Quer beber alguma coisa?
- O que você beber.
Ele veio com duas latas de cerveja não muito geladas. Tirou a camisa mostrando logo a barriga bronzeada e nada saliente. Tomei um gole só e também comecei a me despir naturalmente, sem falar nada, não precisava. Ele esfregava a mão por cima da cueca enquanto me observava e esperou que eu me livrasse da calcinha para se aproximar. Puxou o elástico que prendia meu cabelo. O que é que ele quer? Ele pegou algumas mechas e arrumou-as sobre meus seios. Cheirou, acariciou o cabelo. Dedilhou o mamilo que se contraiu com o toque e me surpreendeu ao dizer que sua mulher tinha cabelos curtos e ele adorava cabelos compridos. Ai, canalha...
Deitamos na cama improvisada sobre o chão. Os cheiros variados indicavam que outros corpos tinham ocupado aquele mesmo espaço há não muito tempo, não liguei. Estava ansiosa para provar aquela boca carnuda, mas ele fugiu afundando a cabeça em meus cabelos. Por que não? Para não trair a mulher? Lutamos por alguns minutos até ele me imobilizar com o peso de seu corpo. Fiquei estática sentindo os músculos rijos, a carne quente, suada. Ele me penetrou de uma vez, me roçando por dentro, meus peitos tremiam e eu derretia nas mãos dele.
Quando levantou a cabeça para ver minha expressão de gozo, consegui me agarrar ao seu pescoço e surpreendê-lo com um beijo. Ele tentou me empurrar, não deixei. Me beija e esquece tua mulher, seu porra! Ele me atendeu e se entregou, a língua chupando a minha, vasculhando minha intimidade com saliva e sem o pudor que achei que tinha. Mordi-lhe o lábio inferior com vontade, deve ter doído, era o que eu queria. Para se vingar me colocou de bruços e o perdi de vista, a boca, tudo. Tentei me erguer, mas ele se enfiou onde devia e foi fundo. Acho que passamos mais de uma hora nos digladiando naquele colchão e não consegui outro beijo. 
Eu não lembrei que tinha prometido chegar cedo para passar o som com a banda. Ele esqueceu que aquele era o dia da semana que as crianças ficavam na casa dos avós para ele e a mulher poderem transar. Tarde demais para dois canalhas como nós.



23 comentários:

Mirella de Oliveira disse...

Uau!!
So hot!!
Escreve deliciosamente, Alline! Parabéns!

SolBarreto disse...

Danada de boa essa menina!
Adorei!!!

Paulo Braccini - Bratz disse...

Tenso de tanta sensualidade ... Aline é o máximo mesmo ... parabéns a ela e a vc por nos apresentá-la ...

bjão aos dois

Foose disse...

Ô mulher danada essa, hein? !:-) Adorei a forma intensa e sensual do texto. Parabéns Alline!!!

Um grande abraço...

Batom e poesias disse...

Texto excelente e quente.
Adorei.

bjcas

Rossana

Sil disse...

Rapaz, que post é este??..rs.

Obrigada por sua visita lá no pensamentos viu..
Aliás, não tinha vindo aqui antes, mas adorei a nova carinha do blog! Parabéns!

Bjs
Sil

Lorena Prazeres disse...

Amei o texto, amei a nova cara do blog, ta tudo fantástico!
beeijos

Valéria Sorohan disse...

Bela escolha. Texto ótimo sem aquela hipocrisia, sem máscaras.

BeijooO*

Jamylle Bezerra disse...

O blog tá lindoooooo!!!!!!!!!!!! Gostei demais, super original! Dá vontade nem de sair mais dele!!!

Luna Sanchez disse...

Sinto vontade de comer os textos da Li e, claro, ser comida por eles...Ui, será que também sou canalha?

=)

Beijos enormes para vocês dois!

Alline disse...

Meu Deus, eu vim parar aqui mesmo! Me deu nervoso, mas agora já passou, acho que foi tudo bem, né, Eraldo? Ufa, ufa... rs

Brigada pelo carinho, és admirável.

Meu eu safado agradece teu eu safado e sela nossa parceria com um beijo daqueles... safado! rsrs

Alline disse...

Luna, és minha convidada para se banquetear com eles. Um pouquinho canalha a gente é... aqui e ali... rsrs

Beijãozão pra ti!

Eraldo Paulino disse...

Mirella: É, querida. Quente.. quente mesmo. A Ali é demais!

SolBarreto:É, muit danada. Graças a Deus! rs Bjs, linda!

Paulo Braccini: É, tenso e lindo, achei. Bjs, Bratz!

Foose: Adoro ela também. Abraço!

Batom e Poesias: E num é? Delícia! Bjs no Batom!

Sil: é, linda. Que post... que post... e é sempre um prazer visitá-la. Bjs!

Lorena Prazeres: Sinto sempre imenso prazer com tuas visitas =)

Valéria Sorohan: Ah, mas a Alline é assim mesmo, doidinha. Por isso que gosto tanto dela. =)

Jamylle Bezerra: Que bom que gostou, linda. Bjs!

Luna Sanches: Canalha entende canalha, né? Bjs. Muitos!

Alline: Imagina, eu é que tive a honra de tê-la por aqui com toda a tua intensidade. Adoro você e suas allinisses =) Bjs, de Canalha pra Canalha!

Michele P. disse...

Eraldo

Não poderia ter escolhido melhores homenageadas! A Rossana, do post anterior, é uma escritora fantástica e envolvente. A Alline, além de simpática e divertida, é uma das blogueiras que mais admiro neste meio!
Maravilha!!!


Bjs

tonholiveira disse...



Ah li né!

Quase GOS.t.EI então gostei!
(brincadeira)
Desculpe Aline, o Eraldo te explica.

"PICA.ntes tarde do que jamais!"
Tem gente que vê "SEXO" em tudo PAU.lino!

Ah! ah! ah!

:o)

Diogo Didier disse...

GEEEEEEEEEEEENNNNNNNNNNNTE! Fiquei excitado ao visualizar cada cena descrita nessa história...claro que por ele e não pela mulher rsrsrsrsrss...

Acho DIVINO quem consegue escrever dessa forma, minuciosa, profunda e com autenticidade...Tbm sou canalha e fiquei relembrando as minhas aventuras sexuais, q não foram poucas, e são dignas de narrações desse tipo!

bjoxxxxxxxxxxxxxx meu amigo!

Letras Saltitando disse...

Bah... palmas pra ela!!!!! Puxa vida.

Luna Sanchez disse...

Canalhices e safadezas liberadas, vamos ao brinde! Eita!

=)

Beijokisses para os dois.

Rossana disse...

Eraldo!
Que post 'quente' este da Aline! Adorei!!E viva a estes momentos canalhas!
Bj=)

Eraldo Paulino disse...

Michele P: Ah, modéstia a parte eu concordo plenamente.

Tonholiveira: Oh, Tonho, a Alline é das nossas =) Obrigado por mais uma visita, amigão!

Diogo Didier: É isso aí, amigo. Prazer carnal é divino!

Letras Saltitando: Clap clap clap =)

Luna Sanches: Ah, Luna, tuas canalhices também são um encanto =)

Rossana: é.. quente mesmo. E muito legal!

♥cinderela♥ disse...

Nina ... Lola... Aline Amooooooo !
=)
Passei gostei e fiquei
Bjs meus !

Eraldo Paulino disse...

Bjs, Alteza!

Milene R. F. S. disse...

Ótimo texto canalha esse...rs. Me prendeu até o fim, beijos.